O tenista português Nuno Borges conquistou hoje o seu primeiro título ‘challenger’ em Antália, na Turquia, após derrotar o britânico Ryan Peniston em dois ‘sets’, por 6-4 e 6-3, e diz que “ganhar é um sonho”.

“Não há muito tempo só imaginava jogar estes torneios, por isso ganhar é um sonho”, confessou à agência Lusa o jovem maiato, de 24 anos, que ingressou no ‘top 300’ do ‘ranking mundial, pela primeira vez, este ano, figurando atualmente no 253.º lugar.

Borges, vice-campeão do Oeiras Open 2, torneio também do ATP Challenger Tour, iniciou a jornada de hoje com um triunfo nas meias-finais frente ao espanhol Eduard Esteve Lobato, por duplo 6-3, e assegurou a qualificação para a final.

No encontro do título diante o britânico, 284.º classificado na hierarquia ATP, o tenista português precisou de uma hora e 18 minutos para recuperar do ‘break’ sofrido logo no seu primeiro jogo de serviço e dar a volta ao desafio, assinando dois ‘breaks’ em cada uma das partidas.

“Senti que foi uma final complicada a nível emocional, principalmente no início do encontro. Assim que consegui aplicar o meu jogo, senti o jogo a meu favor. Estou muito feliz por chegar ao final do ano com este título. Acho que demonstra o trabalho que tenho feito e só me dá vontade para continuar à procura de mais”, comentou, acrescentando ter tentado manter-se “focado do início ao fim e ser agressivo nos momentos certos.”

Graças ao título no ‘challenger’ de Antália, Nuno Borges tornou-se no décimo tenista português a ganhar no ATP Challenger Tour, depois de Rui Machado, Pedro Sousa e Gastão Elias, todos com oito títulos, Frederico Silva (6), João Sousa e Nuno Marques (5), João Cunha e Silva (3), João Domingues (2) e Emanuel Couto (1).

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.