O presidente do Comité Olímpico Internacional (COI), o alemão Thomas Bach, prometeu hoje triplicar os apoios financeiros aos atletas ucranianos, devido à invasão bélica da Rússia, para os Jogos Olímpicos de Verão Paris2024 e de Inverno Milão-Cortina2026.

“Que a bandeira ucraniana seja içada bem alta. Para tal, o COI vai triplicar os fundos previstos antes da invasão, de 2,5 para 7,5 milhões de dólares (7,2 milhões de euros)”, declarou, em Kiev, ladeado pelo presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky.

Bach reiterou que “ainda não chegou o momento” de mudar a posição do COI em relação à recomendação de exclusão de atletas de alta competição russos e bielorrussos de todos os eventos desportivos internacionais, como tem acontecido até aqui, designadamente no torneio de ténis do ‘Grand Slam’ de Wimbledon, a decorrer em Londres.

A Rússia lançou em 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que já matou mais de quatro mil civis, segundo a ONU, que alerta para a probabilidade de o número real ser muito maior.

A ofensiva militar causou a fuga de mais de oito milhões de pessoas, das quais mais de 6,6 milhões para fora do país, de acordo com os mais recentes dados da ONU.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas e políticas a Moscovo.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.