A Rússia propôs hoje ao Comité Olímpico Internacional (COI) um tema do compositor Piotr Tchaikovski como substituto do seu hino nacional durante os Jogos Olímpicos Tóquio2020, 10 dias após a recusa do patriótico tema Katyusha.

“Embora Tchaikovski seja nosso compatriota, o seu trabalho faz parte do legado musical mundial. Esperemos que o COI aceite a nossa proposta em breve”, disse o presidente do Comité Olímpico da Rússia, Stanislav Pozdniakov.

A federação de patinagem de velocidade já usou a música do famoso compositor russo e a sua lendária treinadora Tatiana Tarasova foi das primeiras a propor as suas músicas e as de Mikhail Glinka, opondo-se desde sempre à Katyusha, que o COI recusou.

“O hino nacional russo (ou qualquer outro associado à Rússia) não será tocado ou cantado oficialmente”, sentenciou o Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) em 15 de março, recusando as pretensões dos russos junto do COI.

Em dezembro, os russos foram suspensos por dois anos das grandes competições internacionais após sucessivas polémicas com doping.

Os atletas autorizados a participar nos grandes eventos, e que nunca podem ter sido condenados por doping, poderão competir sob bandeira neutra, mas não ouvirão o hino da Rússia.

Composta em 1938, durante a URSS, a música Katyusha, que inspira a população a servir e defender sua pátria no esforço de guerra, tornou-se um símbolo regularmente usado nas comemorações da vitória contra a Alemanha nazi, presente no imaginário coletivo russo e celebrado com pompa pelo regime de Vladimir Putin.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.