O Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol abriu um processo de inquérito a Pedro Pinho após as agressões do agente ao repórter de imagem da TVI, no exterior do estádio Comendador Joaquim de Almeida Freitas, na passada segunda-feira.

O órgão disciplinar da FPF quer saber os contornos que levaram o agente a marcar presença num jogo à porta fechada. Pedro Pinho e o Moreirense podem vir a ser castigados se for confirmada a não autorização do agente em estar naquele local.

Pedro Pinho corre ainda o risco de perder a licença como intermediário de transferências, já que é considerado como um agente desportivo, à luz do Regulamento Disciplinar da FPF. A Federação Portuguesa de Futebol deverá tomar uma decisão sobre este caso após receber o relatório da Guarda Nacional Republicana, que esteve no local e tomou conta da ocorrência.

Após o encontro da 29.ª jornada da I Liga, que terminou empatado 1-1, o jornalista da TVI foi agredido nas imediações do estádio do Moreirense, de acordo com imagens transmitidas pelo próprio canal de televisão.

O Ministério Público vai abrir um inquérito à agressão, confirmou ontem ao SAPO Desporto fonte oficial da PGR.

Várias entidades, como a Federação Portuguesa de Futebol (FPF), o Sindicato dos Jornalistas (SJ), a Associação dos Jornalistas de Desporto (CNID), a Associação Nacional de Agentes de Futebol (ANAF) e a Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF), juntamente com os clubes Sporting e Benfica, repudiaram a agressão.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.