Após o primeiro desaire enquanto treinador da Roma no embate em Verona,, Mourinho quer transformar a tristeza em motivação para o próximo compromisso. E só há uma forma de curar um desgosto no futebol, com um triunfo no próximo encontro, neste caso no jogo frente à Udinese. A derrota essa, já faz parte do passado.

Da euforia à depressão: Depois do desaire ter trazido laivos de realidade ao conjunto romano, o técnico português coloca água na fervura e recorda que a Roma não é candidata a nada.

"É muito fácil passar da euforia à depressão e não quero entrar nesta dinâmica. Estive eufórico, na partida frente ao Sassuolo, que foi especial para mim [comemorou 1000 jogos na carreira] mas no resto sinto-me tranquilo, sabendo que a Roma no ano passado ficou a 29 pontos do campeão Inter. Em Verona, talvez tenha sido demasiado honesto, admitindo que a equipa esteve mal a nível ofensivo como defensivo. (...) Estamos tristes, mas sentimo-nos equilibrados. Eu vim para cá para trazer esse nível de maturidade e equilíbrio, fruto da minha experiência", referiu em conferência de imprensa, citado pela Gazzetta dello Sport.

O técnico relembra ainda que: "Não somos candidatos a nada, só a vencer o próximo encontro", acrescentando "que o campeonato é uma autoestrada, onde há curvas, mas há que guiar com concentração", avisa.

A Roma ocupa o quinto lugar da tabela com nove pontos em quatro jogos e está a quatro do líder Inter. Os 'giallorossi' recebem esta sexta-feira a Udinese em partida a contar para a 5.ª jornada da Série A.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.