Uma segunda parte aceitável após um primeiro tempo miserável permitiu a Portugal fazer a reviravolta e vencer o Luxemburgo por 3-1, em jogo da 3.ª ronda do Grupo A de apuramento ao Mundial2022. Portugal esteve a perder, Diogo Jota empatou antes do intervalo e, no segundo tempo, Cristiano Ronaldo fez o seu 103.º golo pela Seleção A, antes de Palhinha fechar as contas do jogo. Os campeões da Europa igualam a Sérvia na liderança do Grupo com sete pontos.

Veja as melhores imagens do jogo

Pedia-se uma outra atitude a Portugal, depois da péssima segunda parte frente a Sérvia que resultou num empate e da vitória magra diante do Azerbaijão, em outra exibição que deixou muito a desejar.

Fernando Santos fez quatro alterações em relação ao onze que empatou 2-2 na Sérvia, com as entradas de Nuno Mendes, Renato Sanches, Rúben Neves e João Félix e meteu a equipa em 4-4-2, que foi mais um 4-2-2. E foi isso que o Luxemburgo explorou bem no primeiro tempo.

Só Diogo Jota se salvou na 1.ª parte

Com uma melhor organização em campo, sem medo de jogar, e com um inspiradíssimo Gerson Rodrigues, o Luxemburgo ia discutindo o jogo com Portugal em toda a largura do terreno. Só aos 25 minutos se viu o primeiro remate enquadrado de Portugal: num livre muito lateral que devia ser colocado na área, Cristiano Ronaldo, sem ângulo, atirou direto para defesa com os punhos do guardião Moris.

Com um coletivo que parecia melhor trabalhado em relação ao adversário, o Luxemburgo vai chegar ao 1-0 aos 30 minutos. Vincent Thill teve tempo para preparar o centro na direita, encontrou a cabeça de Gerson Rodrigues que, com um voo espetacular, atirou para o 1-0. A surpresa seria apenas para quem não estivesse a ver o jogo.

Este golo surgiu um minuto após Renato Sanches ter estado perto de marcar, numa jogada pela direita de Cancelo. O lateral centrou recuado, o médio atirou contra um contrário. Ficou no chão, magoado, e pediu penalti que o árbitro não deu.

Foi preciso sofrer o golo para Portugal acordar. Na primeira meia hora, houve muitos passes falhados do lado luso, em situações fáceis e onde os jogadores nem estavam pressionados. Muita displicência, algum individualismo e poucas jogadas de entendimento.

E foi com Pedro Neto em campo, no lugar do lesionado João Félix (muito apagado), que Portugal empatou. O extremo centrou na esquerda, Diogo Jota ganhou de cabeça e fez o 1-1 no segundo minuto de descontos. Terceiro golo do avançado nesta qualificação para o Mundial2022, todos de cabeça.

Segunda parte aceitável e 103.º golo de Ronaldo

O arranque do segundo tempo trouxe um Portugal melhor, mais organizado, com Bernardo Silva a juntar-se aos dois médios onde podia pegar no jogo e organizar. Pedro Neto e Diogo Jota davam dinâmica pelas alas, num segundo tempo onde os laterais Nuno Mendes e João Cancelo mostraram-se mais atrevidos no ataque.

Numa dessas descidas de Cancelo, o lateral meteu na área onde apareceu Ronaldo a empurrar para o fundo das redes, fazendo a reviravolta no encontro aos 51 minutos. Era o 103.º golo de CR7 na seleção de Portugal no seu jogo 173.

Aos 53, boa iniciativa de Nuno Mendes pelo meio, a passar por três adversários e a disparar de pé esquerdo para uma grande defesa de Moris. Era outro Portugal aquele que evoluía no relvado do Josy Barthel.

Fernando Santos refrescou a equipa, com as entradas de Palhinha e Rafa Silva nos lugares de Bernardo Silva e Diogo Jota, passando a ter um meio-campo mais robusto.

O Luxemburgo já sentia mais dificuldades para ligar o seu jogo, mas nem por isso deixou de incomodar. Gerson Rodrigues, o melhor da equipa, ameaçou o 2-2 aos 54, numa jogada individual em que deixou dois lusos pelo caminho. Aos 71 é Anthony Lopes a negar o empate a Sebastien Till, num livre direto. Defesa fantástica do guardião luso.

Aos 78 minutos assistiu-se a algo caricato, nada normal em Cristiano Ronaldo. Christopher Martins quis atrasar a bola, mas colocou-a em CR7 que, isolado perante o guarda-redes, não conseguiu bater Moris, que defendeu os dois remates do capitão de Portugal. Na sequência da jogada, Pedro Neto obrigou Moris a mais uma grande defesa. Incrível como Portugal não conseguiu marcar.

No minuto seguinte Palhinha mostrou a Diogo Jota e Ronaldo como se faz: na sequência de um canto, o médio desviou de cabeça para o 3-1. Primeiro golo do jogador do Sporting ao serviço da seleção de Portugal, ao terceiro jogo.

Nos últimos minutos e a jogar com mais um, após a expulsão de Chanot, Portugal podia ter ampliado a vantagem mas mostrou muita cerimónia na hora de decidir o que fazer com a bola perto da área adversária.

Portugal divide a liderança do Grupo A com a Sérvia, ambos com sete pontos, mas com vantagem lusa nos golos marcados. O Luxemburgo tem três, República da Irlanda e Azerbaijão ainda não pontuaram.

A qualificação é retomada em setembro.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.