Sérgio Conceição, técnico do FC Porto, fez a antevisão à partida dos dragões frente ao Santa Clara, no próximo sábado, em encontro a contar para a oitava jornada da Primeira Liga.

Reinaldo Teles: "É um momento forte para nós, família portista. Já disse o meu sentimento sobre o sr. Reinaldo e penso que esse sentimento é comum a todas as pessoas do FC Porto. É um sentimento e uma desilusão profunda para nós e isso é bem visível naquilo que foi a presença das pessoas e na forma como estão a viver este momento"

Como é que as emoções e o futebol convivem em dias como este:  "As emoções estão sempre ligados à nossa vida. Existem jogadores que conhecem e que conheciam bem bem quem era o Sr. Reinaldo. mas penso que com esta atmosfera que existe ele percebem a grandeza da pessoa em questão. Nós, treinadores e equipa técnica, não só nestas situações, mas em todos os jogos tentamos motivar os nossos jogadores"

Pinto da Costa sentiu-se mal no velório: "É normal que não se tenha sentido tão bem, por esse conjunto de emoções a que está sujeito perante uma pessoa que conhecia há muitíssimos anos e que fez todo o percurso junto com ele, mas penso que estará tudo bem"

Depois da paragem, qual a expetativa para o Santa Clara: "Temos de olhar para o jogo como uma final, porque não temos espaço para perdermos mais pontos e corrermos o risco de nos distanciarmos do lugar que nos pertence, que é o primeiro"

Taça da Liga: "Queremos muito ganhar os três pontos, para continuarmos numa situação que nos permita olhar para a frente a aproximarmo-nos das equipas que estão na frente. Não estamos a pensar na Taça da Liga, não sei se o Santa Clara está, mas pensamos só em nos e em fazer um bom jogo"

4.º lugar tira-lhe o sono?: "Desde que aqui estamos é inédito, não estamos habituados. Não me tira o sono, neste momento é a realidade, tenho de olhar para a tabela, ver a realidade e ver o que temos de fazer para estarmos no lugar que queremos. E isso tem a ver com conquista de pontos e vitórias, por isso é que estamos focados nos três pontos"

Três jogos numa semana para três competições: "Mesmo se fossem da mesma competição, cada jogo tem a sua história, tem a sua vida e a sua estratégia. (...) Todos os jogos são diferentes e requerem trabalho diferente com o pouco tempo que temos, porque não nos podemos esquecer que chegamos ontem às 4h30 da manhã... Vamos jogar com menos de 72 horas de intervalo e é importante que as pessoas pensem um bocadinho nisto. Porque não tem nada a ver com a nossa dedicação, nem com a falta de tempo, tem a ver com o risco dos jogadores se lesionarem. Eu estava a ouvir o Klopp a dizer que se calhar, com este ritmo, ia acabar a equipa com 10 ou 11 jogadores. É bom estar na Europa, agora temos de olhar num contexto mais generalizado, olhar para as seleções, jogos amigáveis... Já falamos sobre isso e é preciso alguma proteção. A verdade é que nos deparamos com um jogo em menos de 72 horas e depois se não ganharmos 'O Sérgio Conceição não percebe nada disto' e não olham para estas coisas"

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.

Ajude-nos a melhorar o SAPO Desporto