A Assembleia da República aprovou hoje por unanimidade um voto de pesar pela morte do ex-futebolista internacional português Fernando Gomes, no passado sábado aos 66 anos, recordando uma “figura maior do futebol" nacional.

No texto do voto de pesar, apresentado pelo PS, lê-se que “Fernando Gomes foi um dos maiores futebolistas da história do futebol português, tendo uma carreira recheada de êxitos e recordes ao serviço dos clubes que representou, bem como da seleção portuguesa”.

Entre os dados biográficos que constam no voto de pesar, é designadamente destacado que “Fernando Gomes foi o melhor marcador da história do Futebol Clube do Porto, oficialmente com 355 golos, tendo sido por seis vezes o melhor marcador do campeonato português”.

“Conquistou, entre outros, cinco títulos de campeão nacional. Foi por duas vezes o melhor marcador da Europa, recebendo a Bota de Ouro em 1983 e 1985, assumindo desde então a carinhosa alcunha de ‘bibota’”, lê-se no texto.

O voto de pesar refere também que, ao serviço do Futebol Clube do Porto, Fernando Gomes “conquistou ainda a Taça dos Campeões Europeus e a Taça Intercontinental em 1987”, a que acresce a conquista da Supertaça Europeia em 1988.

Segundo o texto, “ao serviço do Sporting Clube de Portugal, durante duas épocas, Fernando Gomes apontou 38 golos”.

“Fernando Gomes representou a Seleção Nacional por 47 vezes, marcando 13 golos, estando presente no regresso de Portugal aos grandes palcos internacionais no Europeu de 1984 em França e no Mundial de 1986 no México”, é indicado.

“O seu notável contributo para a afirmação do futebol português perdurará na história. Assim, reunida em sessão plenária, a Assembleia da República manifesta o seu profundo pesar pela morte de Fernando Gomes, apresentando as mais sentidas condolências aos seus familiares, amigos e ao Futebol Clube do Porto”, lê-se no voto de pesar.

Neste período de votações, a Assembleia da República aprovou também por unanimidade um voto de pesar, apresentado pelo PSD, pelo falecimento de José Monteiro, no passado domingo aos 39 anos, antigo presidente da Federação Portuguesa de Culturismo e Fitness e fundador da Federação de Culturismo e Powerlifting de Portugal.

Enquanto lia este voto de pesar, o vice-presidente da Assembleia da República e deputado do PSD Duarte Pacheco emocionou-se.

Segundo o texto, “o reconhecimento pela sua competência e dedicação à modalidade levou igualmente a que a Federação Internacional de Culturismo lhe atribuísse o estatuto de juiz internacional, sendo convidado para ajuizar competições internacionais em todos os continentes”.

O voto de pesar refere ainda que José Monteiro "era incapaz de ficar indiferente ao que se passava ao seu redor, pelo que aderiu ao Partido Social Democrata tendo integrado as listas do seu partido nas recentes eleições autárquicas, no concelho de Loures".

“Assim, a Assembleia da República, reunida em sessão plenária, manifesta o seu profundo pesar pelo falecimento do José Monteiro e apresenta as suas condolências à família, em especial à sua esposa Joana, ao seu filho Gustavo de 5 anos, mãe e irmão e à Federação Portuguesa de Culturismo e Fitness”, lê-se no texto.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.