Ao quinto jogo, o Benfica conseguiu travar o FC Porto, impedindo o que seria um feito inédito por parte da equipa de Sérgio Conceição, que vinha de quatro triunfos consecutivos frente ao eterno rival. O clássico no Dragão foi intenso na primeira metade e quezilento na segunda, mas o empate, face ao equilíbrio evidenciado, é mais do que justo. Jorge Jesus surpreendeu taticamente e foi recompensado com um golo, o FC Porto soube reagir (empatou em oito minutos) e resistir (Taremi foi expulso aos 73'). No topo da classificação fica tudo na mesma e é o SC Braga quem pode aproveitar.

Sérgio Conceição avançou com o onze esperado, face às ausências de Manafá e Otávio, que testaram positivo à COVID-19 - jogaram Nanu e Luis Díaz. E Jorge Jesus surpreendeu com Grimaldo à frente de Nuno Tavares, que ocupou a posição do espanhol como defesa esquerdo.

A 'invenção' permitiu retirar espaços ao FC Porto para procurar a profundidade e equilibrou a luta a meio-campo, anulando Sérgio Oliveira. E foi precisamente pela esquerda que surgiu o golo dos 'encarnados', aos 17 minutos: Nuno Tavares cruzou para Seferovic, o suíço deu um toque subtil para Grimaldo, que à saída de Marchesín picou a bola por cima do guardião argentino.

O FC Porto, que até entrou melhor, viria a aproveitar uma atrapalhação da defesa adversária para fazer o empate. oito minutos depois. Grande passe de Sérgio Oliveira para as costas de Gilberto, Corona puxou para dentro e entregou a Taremi, que rematou cruzado em direção à baliza de Vlachodimos. A bola ainda desviou em Marega antes de entrar.

Os 'encarnados' não acusaram o golpe e continuaram por cima, com Darwin a atirar ao ferro após cruzamento rasteiro de Pizzi, e já perto do intervalo a rematar cruzado ao lado da baliza de Marchesín. Pelo meio Luis Díaz ainda aproveitou um desequilíbrio de Otamendi para rematar em arco e assustar Vlachodimos. As estatísticas ao intervalo espelhavam o equilíbrio: 5-5 em remates, 1-1 em cantos e 49%-51% em posse de bola.

Na segunda parte, entre faltas, desentendimentos e empurrões, o clássico perdeu qualidade. Marchesín fez am mancha a Rafa numa bola que ficou perdida na área (62′), e Marega obrigou Vlachodimos a boa intervenção depois de um livre batido por Sérgio Oliveira (70′).

Aos 73', Taremi atingiu Otamendi com os pitons e, depois de revisão no VAR, acabou expulso. Com praticamente todos os jogadores com os 120 minutos de terça-feira (triunfo sobre o Nacional para a Taça), a equipa do FC Porto ressentiu-se fisicamente, mas conseguiu resistir até ao fim. Aliás, até teve uma oportunidade flagrante para passar para a frente num lance onde Marega, na pequena área, encostou sem a força suficiente na cara de Vlachodimos (75′).

Apesar do maior assédio na reta final, o Benfica não teve instinto matador para acabar com o jogo, além de que as substituições de Jorge Jesus (lançou Everton e Waldschmidt) pecaram por tardias. Acabou empatado o duelo que prometia desempatar os vice-líderes da I Liga, que assim continuam a quatro pontos do Sporting (1-1 na receção ao Rio Ave).

O momento

Grimaldo faz o 1-0: O espanhol já tinha sido testado a médio esquerdo frente ao Estrela, na Taça de Portugal, ainda assim, não deixou de ser uma opção arriscada de Jorge Jesus. Contudo, a jogada que resultou no golo do Benfica (o melhor lance de todo o encontro), toda ela construída na esquerda, veio dar razão ao treinador 'encarnado'.

O melhor

Julian Weigl: Peça fulcral no miolo do Benfica, o alemão ajudou a tapar Sérgio Oliveira e assumiu a iniciativa de construir o futebol dos 'encarnados' sem cometer erros. Foi precisamente Weigl quem mais passes fez no jogo (81), com um aproveitamento de 90%.

O pior

Segunda parte: A intensidade da primeira parte transformou a segunda num jogo de nervos, com muitas faltas, protestos e quezílias, que rapidamente passaram do relvado para os bancos. Taremi entrou de forma imprudente sobre Otamendi e viu (bem) o vermelho direto, e Jorge Jesus e Sérgio Conceição desentenderam-se já depois do apito final. O futebol não é isto.

Reações

Sérgio Conceição e a discussão com Jesus: "Conversas de futebol"

Jesus diz que o Benfica merecia sair vencedor do Dragão

Pepe: "É inaceitável o Pizzi ter terminado o jogo hoje"

Weigl: "Merecíamos vencer"

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.

Ajude-nos a melhorar o SAPO Desporto