Um chefe da polícia inglesa vai ser julgado pela morte de 95 adeptos do Liverpool na tragédia de Hillsborough, na meia-final da Taça de futebol de Inglaterra entre os ‘reds’ e o Nottingham Forest, em 1989.

A decisão de levar a julgamento o comissário David Duckenfield, de 73 anos, foi hoje comunicada por um juiz.

Em causa estão ainda os acontecimentos de 15 de abril de 1989, quando 96 pessoas morreram, vítimas da sobrelotação nas bancadas do estádio Hillsborough, em Sheffield, no norte de Inglaterra.

O comissário David Duckenfield, encarregado pela segurança do estádio, vai ser julgado por homicídio involuntário, com grave negligência, de 95 pessoas.

Uma 96.ª vítima, Anthony Bland, está excluída do processo, pelo facto de a sua morte ter acontecido quatro anos mais tarde, apesar de ter sido em consequência dos ferimentos.

A polícia responsável pelo jogo foi criticada por não fechar um túnel de acesso aos adeptos, deixando de controlar a chegada em massa do público do Liverpool, o que levou ao esmagamento e ferimento das pessoas numa das bancadas.

Os serviços da Procuradoria da Coroa Britânica já tinham recorrido de uma decisão em 2000, que excluía a ida a julgamento de David Duckenfield.

Hoje, o juiz Peter Openshaw, do Tribunal Distrital de Preston, em Inglaterra, decidiu avançar para o julgamento de David Duckenfield, que deverá ter início em setembro, no Tribunal de Preston.

A polícia é acusada de não ter fechado um dos túneis de acesso aos adeptos, de não ter controlado a chegada em massa de público e de ter reagido com lentidão aos acontecimentos.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.