Alemanha e Bélgica, duas das seleções mais fortes dos últimos anos, ficaram esta quinta-feira pelo caminho na fase de grupos do Mundial no Qatar, com os grupos E e F a apurarem Japão, Espanha, Marrocos e Croácia.

O dia, com jogos emocionantes e várias reviravoltas a nível de apurados, fica ainda marcado pela histórica estreia de uma mulher como árbitro principal, a francesa Stéphanie Frappart, no Costa Rica-Alemanha.

Auxiliada por uma brasileira e uma mexicana, 'madame' Frappart acabou por receber um jogo difícil, que era decisivo para a ordenação do Grupo E, o que parecia altamente improvável no início do torneio.

A Alemanha acabou por ganhar por 4-2, mas não chegou e fica fora do Mundial, porque à mesma hora o Japão superava a Espanha por 2-1.

As quatro seleções começaram com hipóteses de apuramento e ao longo dos 90 minutos o quadro foi-se recompondo, com o Japão a estar 'fora' quando perdia por 1-0 e a Alemanha apurada, quando vencia por 1-0.

O 'milagre japonês' apareceu, com a virada do marcador para 2-1, e os 'ticos' pregaram valente partida aos germânicos e chegaram a estar a ganhar por 2-1.

Com 70 minutos de jogo, eram os japoneses e os costa-riquenhos que estavam em situação de apuramento, ambos com seis pontos - um 'escândalo' total, que deixava de fora dois antigos campeões mundiais.

A jogar já mais para o prestígio do que outra coisa, a Alemanha acabou por ganhar o jogo e 'salvar' da eliminação a Espanha, que ao longo das jornadas foi sempre a descer, no Grupo E. Começou a ganhar à Costa Rica por 7-0, empatou com a Alemanha, 1-1, e agora perdeu com o Japão.

A 'Roja' acaba mesmo por se apurar graças à goleada aos centro-americanos, já que termina com quatro pontos, em igualdade pontual com a Alemanha, mas melhor saldo de golos.

O Japão, com vitórias sobre Alemanha e Espanha, chega a surpreendentes seis pontos. Já a Costa Rica, redimiu-se da goleada, esteve próxima do grande feito, mas acaba vergada à maior experiência dos adversários, somando apenas três pontos.

Álvaro Morata, autor do golo espanhol, passou para o grupo dos melhores marcadores com três golos, composto ainda pelo neerlandês Gakpo, o francês Mbappé, o inglês Rashford e o equatoriano Valencia, único que já deixou o torneio.

O Grupo F também chegou até hoje com muita coisa por decidir, com Croácia, Bélgica e Marrocos a lutarem por duas vagas e somente o voluntarioso Canadá já eliminado.

Marrocos iniciou a terceira jornada na frente e assim se manteve, pois ganhou por 2-1 ao Canadá.

Depois do Senegal, é a segunda nação africana a conseguir passar aos 'oitavos' neste Mundial, num grupo que parecia 'talhado' para a Croácia, vice-campeã mundial, e para a Bélgica, uma das seleções mais fortes dos últimos anos.

Com duas vitórias e um empate, os magrebinos totalizaram sete pontos, mais dois do que croatas e três do que belgas, que se enfrentaram num jogo em que era quase certo que seria 'mata-mata'.

O jogo acabou como começou, sem alteração do marcador, apesar das várias ocasiões dos belgas e de uma 'épica' séria de perdidas de Lukaku, nos últimos minutos.

A eliminação dos belgas, em que muito pesou a derrota com Marrocos (2-0), já teve como consequência o ‘adeus’ do selecionador nacional, Roberto Martínez.

Nos oitavos de final, Marrocos vai jogar com Espanha e a Croácia com o Japão.

A fase de grupos termina na sexta-feira, com o que resta disputar dos grupos G e H, em que Portugal e Brasil já garantiram o apuramento.

Portugal defronta a Coreia do Sul, de Paulo Bento, e o Gana joga com o Uruguai, no H, enquanto no G estão no programa o Brasil-Camarões e o Suíça-Sérvia.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.