O selecionador francês de futebol revelou hoje que vai apostar tudo contra Portugal no jogo de sábado a contar para a Liga das Nações, tentando para isso que jogadores nucleares reencontrem o ritmo competitivo.

"O jogo decisivo que nos espera é o de sábado, em Portugal. É preciso que alguns jogadores reencontrem o seu ritmo competitivo e que preservemos todas as nossas formas e energias para sábado. Não estou com isso a dizer que o jogo com a Finlândia [na quarta-feira, de caráter particular] não tem importância, pelo contrário, permite-nos preparar esse jogo com Portugal", disse Didier Deschamps através de videoconferência, no lançamento dos próximos compromissos da seleção gaulesa.

Neste contexto, o selecionador francês admite que vai apresentar uma equipa substancialmente diferente no jogo de quarta-feira em relação ao de sábado: "Normalmente, não mudamos muito a equipa em dois jogos consecutivos quando todos os jogadores estão aptos. Não é esse o caso neste momento, numa altura em que o calendário está tão sobrecarregado. Vamos ter três jogos [Finlândia, Portugal e Suécia], haverá oportunidades e permitirá gerir melhor os jogadores."

Um dos jogadores que preocupa Dechamps, mas não é o único, é justamente o avançado dos Paris Saint-Germain (PSG) Kylian Mbappé, que tem estado lesionado e cuja recuperação a tempo do jogo com Portugal permanece em dúvida.

"Há um protocolo com os clubes que vamos respeitar. O caso do Kylian Mbappé está nas mãos do corpo clínico, que já comprovou a sua competência. Tudo será feito com toda a segurança e serenidade. Não há riscos para ninguém. Tenho boas relações com o PSG. Temos o mesmo objetivo, proteger os jogadores. Somos pessoas responsáveis, eu e o presidente da Federação, para fazer as coisas da maneira mais correta possível no interesse de todos", disse Deschamps, que planeou um programa de recuperação específico para Mbappé poder defrontar Portugal contra a vontade do PSG, que pretende que o jogador permaneça em repouso.

Entretanto, o médio Houssem Aouar, do Lyon, que tinha sido convocado na sexta-feira por Didier Deschamps para substituir Nabil Fekir, do Bétis, lesionou-se no domingo na receção ao Saint-Étienne e é mais uma 'baixa' para Deschamps, que, inicialmente, convocou 26 jogadores, mas já teve que gerir várias lesões entre as suas escolhas.

A seleção gaulesa defronta a Finlândia na quarta-feira, num encontro de caráter particular, seguindo-se os jogos frente a Portugal, decisivo para a atribuição do primeiro lugar no grupo, no sábado, e frente à Suécia, na terça-feira seguinte, para a Liga das Nações.

Com duas jornadas para disputar, Portugal, que é o detentor do troféu, lidera o grupo 3 da Liga das Nações A, com 10 pontos, os mesmos da França, enquanto Croácia, com três, e Suécia, ainda sem pontuar, já não têm qualquer hipótese de seguir em frente.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.