O piloto da Citroen Sebastien Ogier teceu hoje duras críticas à alegada intenção do diretor desportivo da Hyundai usar uma tática desleal no último dia do Rali de Portugal.

O hexa-campeão do mundo disse ter tido informações que o responsável pela marca sul-coreana pediu ao espanhol Dani Sordo, piloto da Hyundai que já não tinham ambições na classificação, para parar numa das especiais da manhã, e assim condicionar-lhe a prestação, devido ao pó, acabando por beneficiar o companheiro Thierry Neuville.

"Não tenho problemas com as táticas, mas hoje tenho de agradecer ao Dani Sordo, porque táticas ainda mais malvadas eram supostas acontecer. Mas, felizmente, ele recusou", começou por explicar o francês.

Ogier acusou diretamente o diretor desportivo da Hyundai de ser o estratega desta atitude.

"Tive informações, não de pilotos, mas sim das minhas fontes, que o senhor André Adamo [Diretor desportivo da Hyundai], pediu ao Sordo [piloto da mesma equipa] para parar na etapa. Felizmente isso não aconteceu porque o Dani [Sordo] é um grande homem e não o fez", disse Ogier, na conferência final do Rali de Portugal, levantando alguma polémica.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.