Os pilotos portugueses ‘Kiko’ Maria e Gonçalo Ribeiro mostraram-se motivados com o regresso às pistas, no Circuito do Estoril, onde decorrerão o Europeu de juniores Moto2, o Mundial de juniores de Moto3 e o European Talent Cup.

Com a presença do presidente da Federação Portuguesa de Motociclismo, Manuel Marinheiro, do vereador da Câmara Municipal de Cascais, Frederico Almeida Nunes, e, entre outros, de António Lima, do Motor Clube do Estoril, foi apresentada ontem a primeira etapa das competições internacionais, que terá lugar em 24 e 25 de abril, num “circuito que tem sido alvo de um investimento para receber os grandes eventos”, como revelou Anne da Câmara, do Circuito do Estoril.

Naquele que será o arranque da temporada para os pilotos portugueses, ‘Kiko’ Maria, de 17 anos, vai voltar às corridas, após uma paragem de 15 meses, na sequência de um acidente, com um desafio diferente, ao correr com uma mota nova e na classe ‘stock’ 600 em Moto2.

“O meu regresso às pistas vai ser em casa, o que me deixa bastante confortável e, sobretudo, calmo. Estou na minha terra e vou encarar esta prova com muita frieza, mas, ao mesmo tempo vou aproveitar ao máximo. É a primeira corrida e, sendo em casa, estou bastante motivado e contente”, avançou o jovem natural do Porto.

‘Kiko’ Maria lembra não estar ainda completamente recuperado da fratura no colo do fémur, que o obrigou a falhar a temporada passada, por isso defende que o “mais importante é ver como a perna reage.”

“A recuperação não acaba no dia em que volto as pistas, é uma coisa que continua, e é preciso ver se aguento o fim de semana de corridas e como é que aguento. O grande objetivo é sempre vencer, mas será algo a alcançar com objetivos mais pequenos, que passam por evoluir passo a passo na minha recuperação e depois pensar em vencer”, explicou.

Apesar das boas sensações nos testes, o experiente piloto da Leopard Galp Júnior confessa que “já tinha perdido um bocadinho a sensação da velocidade e tinha poucas referências do que era pilotar uma mota, embora o básico, curvar, travar e acelerar, continue no sangue”.

“Gostei muito da mota e principalmente de estar de volta ao circuito. Fiquei muito contente, porque fui melhorando a minha forma de pilotar e adaptando-me à perna durante os testes. Estou motivado para continuar a trabalhar”, concluiu o jovem.

Bem menos experiente é Gonçalo Ribeiro, de 15 anos, que vai ter a sua estreia em provas internacionais no Circuito do Estoril, onde vai competir na etapa portuguesa pontuável para a European Talent Cup.

“É uma prova em casa, o que é sempre bom, e estou a contar fazer uma boa prova. Já conheço bem o Circuito do Estoril, mas também sei que vai ser difícil, porque somos 49 pilotos a tentar a qualificação para o Grupo A. Ainda assim, acho que vai correr bastante bem. O primeiro objetivo é entrar no Grupo A [estar na grelha] e, depois, tentar dar o melhor para chegar o mais à frente possível”, avançou.

As previsões meteorológicas apontam para chuva nos dias de prova, 24 e 25 de abril, mas o piloto de Lousada garante não “fazer grande diferença” na sua exibição.

“Gosto bastante de andar à chuva, não me faz muita diferença. Realizámos os testes à chuva e correram bastante bem e penso que vai ser igual na corrida”, justificou Gonçalo Ribeiro, que vai lutar por uma das 36 vagas na grelha de partida.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.