O britânico George Russell (Williams) admitiu hoje ter cometido "um erro de julgamento" quando se dirigiu ao finlandês Valtteri Bottas (Mercedes) após o acidente entre ambos, na corrida anterior, em Imola (Itália).

Na conferência de imprensa de lançamento do Grande Prémio de Portugal de Fórmula 1, que se disputa no Autódromo Internacional do Algarve de sexta-feira a domingo, o piloto britânico admitiu o erro.

"Tendo já tido uma semana para acalmar e refletir, considero que o acidente faz parte das corridas, é daquelas coisas que acontecem", começou por dizer.

No entanto, considerou que aquilo que fez "depois não reflete" quem verdadeiramente é, depois de se ter dirigido a Bottas, que ainda estava no seu monolugar, para pedir satisfações pelo acidente.

"Fui contra o meu instinto que me dizia para me afastar e deixei-me levar pelas emoções, o que foi um erro de julgamento", admitiu.

Por isso, sentiu "necessidade" de emitir um comunicado na segunda-feira seguinte, desculpando-se, pois quer "ser um exemplo" e "um modelo de comportamento", coisa que as ações tomadas "não refletem".

Já o finlandês Valtteri Bottas (Mercedes) considerou o assunto "arrumado no passado".

"Não falámos depois da corrida. Tinha uma chamada no meu telemóvel, mas estava a dormir. Já passou à história. O George pediu desculpa e é tempo de avançar", sublinhou, também na conferência de imprensa desta tarde, em Portimão, de antevisão do Grande Prémio de Portugal, terceira de 23 rondas do Mundial de Fórmula 1.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.