O finlandês Kimi Räikkönen (Alfa Romeo), infetado pelo novo coronavírus antes do Grande Prémio dos Países Baixos, vai voltar a ser substituído pelo polaco Robert Kubica em Itália, na 14.ª prova do Mundial de Fórmula 1.

Räikkönen, de 41 anos, “ainda não está autorizado a regressar à competição”, anunciou hoje a escuderia italiana, acrescentando que o campeão do mundo em 2007 “permanece em isolamento, seguindo as exigências das autoridades sanitárias”.

O finlandês falhou no passado domingo o Grande Prémio dos Países Baixos, onde foi substituído por Kubika, piloto de testes da Alfa Romeo, que terminou no 15.º lugar a prova vencida pelo holandês Max Verstappen (Red Bull).

Kubika vai disputar no domingo, em Monza, a sua 99.ª prova na Fórmula 1, a segunda do ano, aos 36 anos, substituindo Räikkönen, que deve reassumir o monolugar no Grande Prémio da Rússia, em 26 de setembro.

“O Robert, que se comportou de forma apreciável nos Países Baixo, depois de ter sido chamado antes da terceira sessão de treinos livres, vai voltar a pilotar o carro, ao lado de Antonio Giovinazzi”, rematou a Alfa Romeo.

Räikkönen ocupa o 17.º lugar da classificação de pilotos, com dois pontos, mais um do que o companheiro de equipa. O Mundial é liderado por Verstappen, com 224,5, mais três do que o heptacampeão Lewis Hamilton (Mercedes), segundo classificado.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.