Portugal e Itália são velhos conhecidos do futsal. Já jogaram entre si 17 vezes, e só numa ocasião, a seleção lusa foi capaz de derrotar os italianos. Curiosamente isso ocorreu no último confronto particular no dia 13 fevereiro de 2013 (4-2).

Ricardinho, em conferência de antevisão do jogo, considerou a Itália apenas como mais um adversário, sem querer alimentar a história dos últimos jogos entre as duas formações.

«Tivemos oportunidade de os ver ao vivo. A Itália muda os jogadores mas mantém o sistema de jogo. São pragmáticos, jogam muito com o pivot e têm muita qualidade. O foco principal tem de ser nós. Temos de manter esta linha, saber jogar com os diferentes momentos do encontro e ser competitivos. Este é o compromisso que temos entre todos».

 Leitão joga nos italianos da Acqua Sapone e conhece de perto muitos dos jogadores da seleção transalpina. Ricardinho confessa que já recebeu alguns conselhos do seu colega de equipa que poderão ser úteis para este jogo.

«O Leitão já falou indivualmente comigo, e tenho a certeza que terá feito o mesmo com os restantes jogadores porque é um atleta inteligente e que sabe que isso poderá fazer a diferença. Alertou-nos para algumas individualidades da seleção italiana, até porque alguns deles jogam na equipa dele. Temos a lição bem estudada», atirou.

O jogador está confiante e não tem dúvidas que este é «mais um teste» às capacidades de Portugal e que  «pode se ser ultrapassado» rumo à final.

Portugal defronta a Itália, esta quinta-feira, a partir das 17 horas, em jogo a contar para as meias-finais do Europeu de futsal. 

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.