A seleção portuguesa de futsal foi esta manhã recebida pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, no Palácio de Belém, depois da conquista do bicampeonato europeu.

No discurso, Fernando Gomes, presidente da FPF, fez questão de “enfatizar o espírito de grupo fantástico que representa a Federação, o desporto português e o país”.

"Não se ganha sempre, muitas das vezes perde-se, mas é na derrota ou nas derrotas que conseguimos criar as condições para nos tornarmos mais fortes, sermos melhores e conseguimos vitórias. Esta seleção, antes de 2018 perdeu muitas vezes, perdia quase sempre, mas com essas derrotas, com essa ambição, com esse saber conseguimos dar a volta. É esta ambição de representar Portugal que queremos manter, sem esquecer o papel da federação, enquanto entidade social", começou por dizer.

"Gostaria de enfatizar este espírito de grupo fantástico que representa a Federação, o desporto português e o país. Um grupo fantástico, que faz da união, da garra, dedicação, do talento, de uma capacidade psíquica fora do normal, que faz com que tenhamos a felicidade de assistir a vitórias verdadeiramente fantásticas, a forma como conseguiram essas vitórias, que nos lembramos muito bem, que deram a volta aos momentos menos positivos, tornaram essas vitórias muito saborosas e um marco que nos lembraremos para sempre", acrescentou.

O presidente do organismo começou por destacar que é o 14.º troféu que traz ao Presidente da República, “durante os seus mandatos”, o “30.º título da Federação nos seus 108 anos de história, 15 deles conquistados depois de 2015.”

“Esta ambição que nós temos, de permanentemente representar Portugal, deve ser sinónimo de seguidismo, ambição de todos os desportistas que representam o nosso país. Como já disse antes, não se ganha sempre, aliás muitas das vezes perde-se, mas é na derrota que conseguimos criar as condições para nos tornarmos mais fortes, sermos melhores e, a partir dai, conseguirmos as vitórias”, defendeu.

Além de enaltecer o espírito de grupo, o presidente da Federação Portuguesa elogiou igualmente o treinador Jorge Braz e seu trabalho à frente da equipa portuguesa que, no domingo, bateu na final a Rússia, por 4-2, para conquistar o título europeu de futsal.

"Uma palavra também ao Jorge Braz, não é por acaso que este caminho está a ser seguido. O Jorge Braz, com a sua capacidade de liderança, alicerçado por staff e estrutura superlativa conseguiu colocar o futsal português no patamar de excelência do panorama desportivo mundial", elogiou.

A encerrar o seu discurso no Palácio de Belém, Fernando Gomes fez questão de apontar os próximos desafios, “a fase final do futsal feminino”, deixando uma mensagem de esperança, antes de agradecer a todos os clubes e dirigentes do país, “que, de uma forma fantástica, em dois anos extremamente difíceis, de pandemia, com tenacidade, conseguiram manter os escalões de formação a funcionar”.

“Não ficaria muito bem se, antes de terminar este mandato, não trouxesse um título de uma modalidade coletiva do desporto feminino. Tudo iremos fazer para o conseguir”, prometeu o presidente federativo.

Galeria: Chegada da Seleção Portuguesa após conquista do Euro de futsal 2022

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.