Eddy Merckx desvalorizou hoje o feito de Mark Cavendish, que está a duas vitórias do seu recorde de triunfos na Volta a França, lembrando que o ciclista britânico nunca vai ganhar cinco edições ou andar 96 dias de amarelo.

“Esse recorde de etapas não é algo que me tire o sono, os recordes existem para serem batidos. Vamos imaginar que acontece: ainda vou ficar com alguns recordes. O Mark Cavendish nunca ganhará cinco Voltas a França e também nunca passará 96 dias de amarelo”, vincou o ‘Canibal’ ao diário belga Het Laatste Nieuws.

Considerado o melhor ciclista de todos os tempos, Merckx viu o ciclista da ilha de Man, de 36 anos, aproximar-se surpreendentemente esta semana do seu recorde de vitórias em etapas na ‘Grande Boucle’, depois de o ‘sprinter’ da Deceuninck-QuickStep triunfar na quarta e sexta etapas da 108.ª edição do Tour.

O belga, de 76 anos, somou 34 triunfos na Volta a França ao longo da sua carreira, um recorde que parecia imbatível até ao ‘renascimento’ de ‘Cav’.

Eddy Merckx continua, no entanto, a deter outras marcas aparentemente inalcançáveis: foi o corredor que mais dias andou de amarelo no Tour (96) – Chris Froome, o único ciclista no ativo nesta lista, fê-lo ‘só’ durante 59 dias –, tendo vencido a prova em cinco ocasiões, tal como os franceses Jacques Anquetil e Bernard Hinault e o espanhol Miguel Indurain, os mais vitoriosos de sempre.

O ‘Canibal’ considera também que o triunfo final da 108.ª edição está entregue ao esloveno Tadej Pogacar (UAE Emirates), o vencedor do ano passado.

“O Tour já acabou. Não vejo ninguém que possa evitar que o Tadej Pogacar consiga a sua segunda vitória consecutiva. Não tem nada a temer relativamente ao seu compatriota Primoz Roglic, e Geraint Thomas, que também está em dificuldades. A INEOS só tem Richard Carapaz para lutar pela geral”, declarou antes do início de uma oitava etapa em que tanto Roglic como Thomas ficaram irremediavelmente afastados da luta pela geral.

Para Merckx, que pareceu adivinhar o descalabro do esloveno e do britânico na etapa de hoje, as etapas que faltam da 108.ª edição favorecem ‘Pogi’.

“Ninguém sobe tão bem quanto Pogacar neste momento. Além disso, a sua equipa está mais forte do que no ano passado e ele está a conseguir grandes coisas aos 22 anos”, concluiu.

A oitava etapa da Volta a França, a decorrer neste momento, liga Oyonnax e Le Grand-Bornand, no total de 150,8 quilómetros, que incluem três contagens de montanha de primeira categoria.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.