A maratona de Lisboa registou hoje a melhor marca de sempre em Portugal, com o triunfo do etíope Limenih Getachew, que cortou a meta em 2:07.34 horas, num dia em que também se bateram os máximos na meia maratona.

Na maratona, a primeira prova do dia, Getachew fugiu a dois quilómetros da meta para vencer isolado à frente do queniano Samuel Wanjiku, que era o antigo recordista da prova (2.08.21) e foi segundo, em 2:07.51 (também melhor do que o recorde anterior), e do queniano Justus Kimutai, terceiro, com recorde pessoal de 2:07.58.

Foi o pódio de uma competição que acabou por beneficiar das condições atmosféricas, registando-se um total de nove atletas, todos africanos, a fecharem em menos de 2:10 horas.

No final da competição o vencedor da prova estava bastante satisfeito pelo triunfo, embora tenha ficado aquém do seu recorde pessoal (2.06.49).

"Gostei muito do percurso da prova, fiz uma primeira metade mais cautelosa e depois consegui fazer uma segunda parte mais rápida, conseguido o triunfo", afirmou o novo recordista da prova.

O 10.º classificado e melhor não africano foi o português Hermano Ferreira, atleta do Benfica, que, depois de passar por muitas dificuldades físicas, terminou em 2:20.11.

"Até aos 30 km fui no ritmo para o qual tinha treinado e que julgava valer, mas senti um problema no adutor, fui parando, com muitas dores, mas o meu treinador disse-me que eu tinha que tentar chegar ao final e assim foi, apesar do imenso sofrimento", referiu.

Na prova feminina, a etíope Kuftu Dediso esteve sempre na frente e ganhou com um novo recorde pessoal de 2:24.56 (tinha 2.31.27), superando claramente a queniana Monica Jepkoech, segunda, com 2:27.35, e a compatriota Tigist Memuye, terceira, com 2:28.35.

A melhor portuguesa foi Rosa Madureira, do Penafiel, que terminou no sexto lugar, com o tempo de 2:47.17.

Na meia maratona registaram-se dois recordes do percurso. Em masculinos, o marroquino Mustapha El Aziz, um atleta registado nos últimos dias, com recorde pessoal abaixo de uma hora, triunfou em 1:00.16 horas, retirando três segundos ao anterior máximo da prova (1:00.19).

Além de El Aziz, subiram também ao pódio o etíope Abdiwak Tura Seifu, segundo classificado, em 1:00.41, e o eritreu Ammanuel Mesel, terceiro, em 1:00.45.

Nesta prova, o melhor português foi André Pereira, do Benfica, que acabou no 14.º posto, com 1:06.08, na sua primeira meia maratona mais a sério.

"Não podia ter melhor estreia. Recorde pessoal, conseguindo ir num ritmo confortável, para deixar alguma coisa para o final. Espero continuar a treinar sem problemas ou lesões, para poder continuar a evoluir", disse o português.

Na prova feminina, a etíope Yebrgual Arage também venceu isolada, com a marca de 1:07.18, retirando 35 segundos ao anterior máximo da meia maratona de Lisboa (1:07.53), sendo acompanhada no pódio pela israelita Lonah Salpeter (1:07.55), que há uns meses se sagrou campeã europeia de 10.000 metros, e a queniana Betty Lembus, terceira, em 1:09.49.

Entre as portuguesas, a benfiquista Dulce Félix foi a melhor, no oitavo posto, com 1:11.50, batendo a sportinguista Carla Salomé Rocha, nona, por 22 segundos, enquanto Sara Moreira, também do Sporting, foi 12.ª, com 1:12.54.

"Consegui chegar ao meu objetivo, correr abaixo de 1.12, sendo que este ‘triunfo’ me faz sair daqui muito motivada para o futuro, pois pretendo compensar desportivamente o meu clube, que muito me ajudou no período antes e após ter sido mãe", disse-nos a atleta.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.