“Patrícia Mamona! Medalha de prata!”, assinalou o COP, através de uma publicação na conta oficial no Twitter, logo seguida de outra em que mostra a festa da atleta lusa, após alcançar o segundo posto da disciplina, com um salto de 15,01 metros, um novo recorde nacional, que foi igualmente destacado na página oficial dos Jogos Olímpicos.

O Sporting, clube que Mamona representa, também assinalou a conquista na mesma rede social: “A nossa leoa Patrícia Mamona conquistou mais uma medalha para Portugal nos Jogos Olímpicos Tóquio2020 e bateu o recorde nacional, com 15,01 metros! ENORME!”

Esta foi a segunda medalha conquistada pela comitiva portuguesa em Tóquio, depois de o judoca Jorge Fonseca, também do Sporting, ter arrecadado o bronze na competição de -100 kg.

Tal como tinha sucedido com Fonseca, os rivais dos ‘leões’, Benfica e FC Porto, fizeram questão de endereçar publicamente os parabéns a Patrícia Mamona, o mesmo acontecendo com o Sporting de Braga, que expressou as felicitações de forma curiosa: “Ela não salta… Ela voooooa! Muitos Parabéns, Patrícia Mamona!”

Enquanto a Liga Portuguesa de Futebol Profissional destacou o “talento além-fronteiras” de Patrícia Mamona, a Federação Portuguesa de Futebol (FPF), por intermédio do presidente Fernando Gomes, enalteceu a “atleta de gabarito mundial” e “desportista exemplar”.

“(…) Ao bater igualmente o seu próprio [recorde] nacional em Tóquio, provou mais uma vez o seu inequívoco talento, garra e vontade de superação. É uma desportista exemplar e um exemplo para todos os portugueses e para o país que repetidamente orgulha e dignifica”, reagiu o líder da FPF.

A conquista de Patrícia Mamona foi igualmente assinalada pela Federação Portuguesa de Andebol (FPA).

Patrícia Mamona conquistou hoje a medalha de prata no triplo salto dos Jogos Olímpicos Tóquio2020, ao conseguir 15,01 metros, novo recorde nacional, arrebatando a segunda medalha por atletas portugueses depois do bronze do judoca Jorge Fonseca (-100 kg).

A atleta portuguesa, de 32 anos, só foi batida pela venezuelana Yulimar Rojas, bicampeã do mundo, com 15,67 metros, que estabeleceu um novo recorde do mundo. No terceiro lugar ficou a espanhola Ana Peleteiro, com 14,87.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.

Ajude-nos a melhorar o SAPO Desporto