Despromovido à Liga 3 no final da última época, o Varzim acredita que ainda pode permanecer na II Liga e, esta segunda-feira, último dia para a apresentação de processo de licenciamento obrigatório para participação em provas profissionais, lembrou em comunicado que se encontra atento a eventuais irregularidades cometidas nesse âmbito por outros clubes, nomeadamente o Leixões.

O Varzim diz, em comunicado, que "tomou conhecimento de alegadas práticas anti-regulamentares praticadas pela Leixões Sport Club - Futebol SAD no que respeita ao processo de licenciamento para as competições profissionais e ainda questões graves relativamente ao controlo salarial no decorrer do ano de 2022".

O clube varzinista acrescenta que "os alegados factos terão sido observados com total conivência do Conselho de Administração da referida sociedade desportiva, o que, salvo o devido respeito por melhor entendimento, colide frontalmente com os Regulamentos e todos os princípios ético-desportivos impostos pela Liga Portuguesa de Futebol Profissional e pela Federação Portuguesa de Futebol", adianta o Varzim.

O jornal 'A Bola' refere na sua edição desta segunda-feira, que quer o Leixões quer a B SAD ainda não conseguiram regularizar situações junto da Liga de Clubes as respetivas situações, o que terão de fazer até às 23h59 desta segunda-feira. Caso não o consigam, será o Varzim a ficar com uma das vagas deixadas em aberto.

Leia o comunicado do Varzim na íntegra

"No dia de hoje, 20 de Junho de 2022, a Varzim Sport Club – Futebol, SDUQ, tomou conhecimento de alegadas práticas anti-regulamentares praticadas pela Leixões Sport Club – Futebol SAD no que respeita ao processo de licenciamento para as competições profissionais e, ainda questões graves, relativamente ao controlo salarial no decorrer do ano de 2022.

Mais sabe a sociedade subscritora que tais alegados factos terão sido observados com total conivência do Conselho de Administração da referida sociedade desportiva, o que, salvo o devido respeito por melhor entendimento, colide frontalmente com os Regulamentos e todos os princípios ético-desportivos impostos pela Liga Portuguesa de Futebol Profissional e pela Federação Portuguesa de Futebol.

Informamos todos os nossos sócios, adeptos e simpatizantes que, perante tais noticias, decidimos, de imediato designar uma equipa de advogados altamente profissional e, assim como, especialistas da área financeira por forma a que possam averiguar tal situação reportada.

A situação em concreto é grave e carece de uma posição forte e clarificadora quer da Comissão de Licenciamento da Liga, do Exmo. Presidente da mesma Sr. Dr. Pedro Proença quer do Sr. Presidente do Sindicato dos Jogadores, Dr. Joaquim Evangelista, pelas funções que exercem e também pela responsabilidade que têm perante o futebol profissional na clarificação destas situações e na sua transparência, e em quem confiamos plenamente até pelo histórico recente em que tomaram decisões de coragem e de transparência.

Por fim, e a serem verdade as alegações com que fomos confrontados hoje, informamos os nossos sócios, adeptos e simpatizantes que a Varzim Sport Club – Futebol, SDUQ se encontra, nos termos regulamentares, devidamente preparada e licenciada para assumir qualquer vaga existente no futebol profissional, caso se confirmem as alegadas irregularidades e a sociedade desportiva nelas visada não seja admitida a participar nas competições profissionais na próxima época desportiva".

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.