O presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) enalteceu hoje o “exemplo de coragem, tenacidade e determinação” dado pelo antigo futebolista Bernardo Tengarrinha, que morreu hoje aos 32 anos, vítima de um linfoma de Hodgkin.

"Foi com profunda tristeza e consternação que tomei conhecimento da morte de Bernardo Tengarrinha, que durante longos meses travou uma luta corajosa contra a cruel doença que o vitimou. Aos 28 anos, teve de abdicar de fazer aquilo que era a sua paixão quando, então, representava o Boavista. Parte, agora, demasiado cedo, deixando-nos um exemplo de coragem, tenacidade e determinação”, evidenciou Fernando Gomes.

O presidente da FPF, citado em comunicado do organismo, endereçou “uma palavra de conforto possível e toda a solidariedade à família do Bernardo Tengarrinha”.

“Aos amigos e aos clubes que representou, fica sentida nota de pesar e de consolo”, concluiu.

O antigo médio e defesa tinha interrompido a carreira em 2017, aos 28 anos, após lhe ter sido diagnosticado o problema oncológico, uma doença que tem sintomas parecidos aos da leucemia.

Desde então tinha-se tornado embaixador do Sindicato de Jogadores Profissionais de Futebol (SJPF) para a saúde mental.

Natural de Sátão, no distrito e Viseu, Tengarrinha fez formação no Odivelas, Benfica e FC Porto, clube pelo qual somou duas partidas na equipa principal na temporada 2008/09.

Tengarrinha representou também enquanto sénior o Estrela da Amadora, Olhanense, Santa Clara, Vitória de Setúbal, Freamunde, Desportivo de Chaves e Boavista, onde terminou a carreira.

O jogador alinhou ainda nos búlgaros do CSKA Sofia, em 2012/13, na única experiência no estrangeiro.

Nas temporadas 2018/19 e 2019/20, foi treinador adjunto na equipa sub-23 do Vitória de Setúbal.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.