O treinador do Vitória de Guimarães, Pepa, afirmou hoje que a sua equipa precisa do “apoio” dos adeptos para derrotar o Famalicão, equipa na melhor fase da temporada, para a 25.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol.

Na antecâmara do embate de domingo, que opõe a equipa de Guimarães, a viver um ciclo de três derrotas consecutivas, ao conjunto de Famalicão, que venceu os últimos três jogos, o técnico de 41 anos admitiu que os seus jogadores precisam de repetir exibições como as que ‘assinaram’ frente ao Belenenses SAD (0-0), com dois jogadores a menos, ao Benfica, para a Taça da Liga (3-3) ou ao Sporting de Braga (triunfo por 2-1), em que também sentiu muita “ajuda”.

“Precisamos de ajuda. Os nossos melhores momentos neste estádio foram com os nossos adeptos. Sempre estiverem connosco, mas precisamos que festejem um corte, um remate, tudo de bom que a equipa faça. Estamos preparados para o jogo como se fossem os últimos 90 minutos da nossa vida. Não podemos jogar sozinhos. Queremos tornar este estádio num ‘inferno’ para o adversário”, frisou, na antevisão ao desafio marcado para as 20:30, em Guimarães.

O ‘timoneiro’ vitoriano perspetivou “um jogo aberto” frente a um oponente que “joga com muita largura e com os laterais projetados”, que “tem profundidade no plantel” e que se reforçou bem no ‘mercado de transferências’ de janeiro, nomeadamente com João Carlos Teixeira, médio ex-Vitória que soma dois golos e duas assistências em quatro jogos pelos famalicenses desde o início de fevereiro.

Além de pedir “paixão” aos seus jogadores, Pepa também salientou a importância de jogarem com “racionalidade” e de terem “paciência com bola”, para evitarem repetir as falhas na origem da derrota caseira frente ao Arouca (1-3), no último jogo disputado no Estádio D. Afonso Henriques.

Questionado sobre a importância de o Vitória, sétimo classificado, com 30 pontos, se distanciar do Famalicão, 11.º, com 26, o treinador frisou que “não vale a pena ‘olhar’ para o nome do adversário”, tendo lembrado que o seu conjunto somou quatro pontos nos dois jogos com o quarto classificado, Sporting de Braga, mas apenas um frente ao 15.º classificado, Arouca, e também um perante o 18.º e último, Belenenses SAD.

O técnico reconheceu ainda que o quinto lugar, ocupado pelo Gil Vicente, com 42 pontos, está “distante” e salientou que o plantel deve aproveitar os últimos 10 jogos para ganhar “consistência em termos exibicionais”, para se tornar “mais eficaz no processo defensivo”, tendo em conta os 19 jogos consecutivos a sofrer golos, e para marcar primeiro do que o adversário mais vezes.

A propósito das eleições para a presidência do clube que decorrem hoje, no Pavilhão Desportivo Unidade Vimaranense, entre António Miguel Cardoso (lista A), Alex Costa (lista B) e Miguel Pinto Lisboa, o presidente em funções (lista C), Pepa salientou que é “impossível passar ao lado” de um “dia tão importante para todos os associados”.

“É impossível passar ao lado [das eleições] num clube com a dimensão do Vitória. É um dia importante para todos os associados, mas o nosso foco é total no treino, naquilo que controlamos e no jogo”, disse, a propósito de um ato em que votaram 2.156 sócios até às 12:30 e em que as urnas encerram às 19:00.

O Vitória de Guimarães, sétimo classificado da I Liga portuguesa, com 30 pontos, recebe o Famalicão, 11.º, com 26, em partida agendada para as 20:30 de sábado, no Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães, com arbitragem de Luís Godinho, da Associação de Futebol de Évora.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.