Rui Costa falou sobre vários temas da atualidade encarnada num entrevista à BTV.

Luta pelo título de pé

"Jamais podemos pensar que o campeonato está acabado. Teremos de estar focados naquilo que temos para fazer nesta segunda volta do campeonato. E os dois anos passados mostram-nos isso, também. Vencemos um campeonato e perdemos outro, quando não se esperava. E como tal a esperança e ambição continuam intactas em relação aos objetivos deste ano e por isso exijo que dentro do Seixal a opinião seja igual. Há muito campeonato para fazer. É nisto que temos de pensar. Estou convencido que ainda vamos ser felizes."

Balanço depois da passagem de Jorge Jesus

"Foi um ano e meio bastante difícil. O ano passado foi muito difícil. Foi um ano falhado. Sabíamos que Jorge Jesus, pela condicionante de ter ido parao Sporting, que no seu regresso quase obrigava quase a vitórias imediatas. O ambiente ficou mais pesado em torno da equipa e de Jesus. Isso foi prejudicial para todos: adeptos, treinador e jogadores. Ele não conseguiu fazer o mesmo trabalho que tinha feito na primeira passagem. Mas há trabalhos que não surgem como esperamos. Este não correu tão bem e, digo, Jorge Jesus não deixa com isso de ser um grande treinador. Assisti a todo o empenho dele, esteve sempre de corpo e alma. Mas desta vez as coisas não correram como se previa."

Trabalho de Rui Pedro Braz

"No passado, era o Tiago Pinto, depois o Luisão, agora o Rui Pedro Braz. Recuso-me a encontrar bodes expiatórios. Quando alguma coisa não corre tão bem, a culpa não é de um ou outro. É uma culpa conjunta. Recuso-me a achar bodes expiatórios, o Rui Pedro e o Luisão são dois benfiquistas ferrenhos. O Rui teve um papel importante no mercado de transferências do clube, tem-se empenhado ao máximo e tem todas as condições para ser um extraordinário diretor-desportivo. E é benfiquista ferrenho, quando o Benfica perde, perde em termos profissionais e pessoais."

Sobre a novela em torno de Jesus e do Flamengo

"Sei o massacre que ele estava a sofrer para ir para o Flamengo. Disse para limpar a cabeça de uma vez por todas e dizer-lhes para não aceitar, para no dia seguinte em conferência anunciar que ficaria no Benfica e eu reforçava. Essa tal autorização, que foi anterior ao jogo com o FC Porto, era para ele limpar a cabeça. Foi cumprido à regra e João de Deus disse na conferência de imprensa que a vontade de Jesus era continuar no Benfica. Esse compromisso entre ambos foi respeitado na íntegra. Jorge Jesus toma essa posição e quando sai do Benfica já o Flamengo tinha outro treinador"

Aposta em Nélson Veríssimo

"Tem uma ambição enorme e conhecia parte do plantel, acima de tudo. Era uma mudança mas com algum conhecimento. Acredito nas capacidades dele, sei o quanto ele sofre com o clube. É a pessoa ideal para dar a volta neste momento. Vai levar-nos a superar este momento."

Discussão entre Pizzi e Jesus

"Algumas coisas são verdade, outras empoladas e distorcidas. Há de facto esse desavença entre jogador e treinador, entre trienaior e jogador que se deram sempre bem. O Pizzi é um dos capitães do Benfica e que se dá sempre bem"

Sobre a operação Cartão Vermelho

"Não me parece correto que tantas escutas seja colocadas cá fora. Não sei quem benefica disso, a não ser que seja para preencher páginas. O Benfica é tremendamente prejudicado. Para mim a preocupação é poder olhar para o futuro do Benfica e não ser notícia o que é em segredo de justiça. O pedido que faço é que a Justiça seja mais célere"

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.