Jorge Jesus, treinador do Benfica, analisou o embate frente ao V. Guimarães.

Análise 

"Tínhamos como estratégia para este jogo segurar alguns jogadores do ponto de vista físico. Em relação ao último jogo tirámos seis jogadores. Também não queria mexer no 11, ou seja entrar 11 e saírem 11. É verdade que o Lucas, dos três, eu optei pôr o Jan (Vertonghen) a descansar porque era o jogador que tinha mais jogos na seleção, que tinha tido mais competições e dos três eu pensei que um ia pôr a descansar e optei pelo Jan. Não surtiu efeito porque o Lucas lesionou-se".

Questão do melhor marcador

"O Pote já marcou dois? Havia dois objetivos nesta jornada: era ganhar e tentar ajudar o Seferovic. Houve falta de sensibilidade na marcação dos jogos. Está bem que não se disputam de pontos entre as equipas, mas há um troféu que é muito importante e o Sporting tinha que jogar à hora que o Benfica. Desportivamente não é o correto, mas pronto. É um pormenor, uma nota que fica para que uma próxima vez não cometam o mesmo erro".

Partida de Morato

"Também quero destacar o grande jogo de Morato. O menino fez um jogo seguro, um jogo com muita confiança, nem eu estava à espera de tanto. Nunca se intimidou contra um Vitória que precisava desse jogo para entrar na Europa, não sei se entrou ou não. Nós fizemos o nosso trabalho, é o que tínhamos que fazer. Tivemos a responsabilidade de jogar não só para ganhar, mas também para não prejudicar os adversários. Foi o que fizemos."

Taça de Portugal

"Não quer dizer que eu tenho que olhar para este jogo para pensar no domingo. Em vários jogos com o Braga jogámos quase sempre com dois centrais e domingo temos essa possibilidade de o tornar a fazer. Mas temos mais alguns dias para trabalhar a equipa. Vamos ver qual é a melhor estratégia."

Segunda volta

"Acabámos com uma segunda volta muito forte, só perdemos um jogo com o Gil Vicente, fomos a equipa que fez mais pontos na segunda volta, claro que ainda havia muito para melhorar. E agora as nossas baterias estão apontadas para o jogo final da Taça de Portugal, já estavam apontadas para isso, mas futebol tem desses imprevistos e em relação ao Lucas é a nota negativa que tive do jogo."

Balanço da edição da Liga

"Principalmente o mês de janeiro, que para mim foi uma experiência muito negativa. Nunca passei por ela, nunca esteve dependente de mim nem de ninguém e tivemos um mês que nunca mais vou esquecer, não tive jogadores para treinar, não havia equipa técnica para treinar, estive doente e a equipa técnica também toda doente, foi um período que nunca mais vou esquecer e espero que nunca mais me aconteça."

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.