O FC Porto sofreu muito para conseguir os três pontos na deslocação à Madeira, na 27.ª jornada da I Liga de Futebol. Frente ao último da prova, o Nacional da Madeira, a equipa de Sérgio Conceição viu o adversário falhar uma grande penalidade logo aos seis minutos. Taremi aproveitou um erro do guarda-redes contrário para fazer o único golo do jogo no primeiro tempo, numa exibição muito aquém do esperado por parte dos campeões nacionais.

Os três pontos deixam o FC Porto a seis do líder Sporting e com seis de vantagem sobre o Benfica, equipa que perdeu com o Gil Vicente nesta ronda.

Veja as melhores imagens do jogo

Fórmula de Sevilha para bater o 'lanterna vermelha'

Em campo, duas equipas com estados de espírito diferentes na Primeira Liga: o FC Porto à procura do sexto triunfo seguido para ficar com seis pontos de vantagem sobre o Benfica e ainda manter pressão no líder Sporting, o Nacional a tentar quebrar o ciclo de oito derrotas seguidas e sair do último lugar da I Liga.

Com um calendário difícil até ao final e após sofrer duas goleadas nas nas rondas anteriores, (desde que Manuel Machado pegou na equipa), o Nacional teria de fazer uma exibição diferente das últimas e esperar por um mau dia do FC Porto para sair do ciclo negativo em que se encontra.

Manuel Machado montou um 4-5-1, preenchendo a zona do meio-campo, onde tentava ganhar cedo a bola para esticar na frente na velocidade de Brayan Riascos. Já Sérgio Conceição optou por manter a fórmula Champions, que ajudou a equipa a vencer o Chelsea por 1-0 nos quartos de final da Liga dos Campeões (foi eliminado porque tinha perdido 0-2 no primeiro jogo). Taremi foi o único homem da frente, Marega ficou no banco e Luis Díaz ocupou o lugar do lesionado Otávio.

Nacional falha penalti, Taremi aproveita erro

Logo aos seis minutos o Nacional teve uma soberana oportunidade para marcar. João Camacho foi lançado nas costas de Zaidu, o nigeriano escorregou e derrubou o madeirense na área. Penalti assinalado por João Pinheiro e batido por Éber Bessa mas, Marchesin fez uma grande defesa e manteve tudo a zeros.

Depois de ver a equipa perder um penalti, Manuel Machado perdeu Marco Matias, por lesão. O técnico lançou o rapidíssimo Kenji Gorré aos 15 minutos.

Com dificuldades em entrar no último reduto contrário, o FC Porto também espreitava o erro do adversário para chegar ao golo. E foi isso que aconteceu aos 20 minutos. O guarda-redes António Filipe demorou a bater a bola, despachou contra o pé de Taremi, o esférico foi até Corona que serviu de pronto o iraniano para o 1-0. Erro colossal do guardião dos madeirenses a deixar a sua equipa em maus lençóis.

O Nacional tentava sempre pelas laterais, com Gorré e Riascos a tentarem desequilibrar no um-para-um com Manafá e Zaídu. Quando chegava no último terço, o Nacional procurava surpreender logo, perdendo pouco tempo a elaborar as jogadas. Camacho e Riascos tiveram dois remates perigosos no primeiro tempo que assustaram Marchesín.

Apesar da vantagem, os campeões nacionais sentiam muitas dificuldades para travar fazer frente a pressão dos madeirenses. Kenji Gorré, por duas vezes, e João Camacho, numa ocasião, criaram perigo junto da baliza de Marchesin. Sérgio Conceição não gostava do que via, com muitos jogadores em sub-rendimento. Os laterais Manafá e Zaidu muito presos atrás e a cometer alguns erros, Corona apagado e Taremi sem apoio.

Manuel Machado aposta tudo, FC Porto sofre

Manuel Manchado sentia que podia tirar algo mais do jogo e lançou Bryan Rochez e Rúben Micael nos lugares de Éber Bessa e João Camacho, forçando mais na frente. Sérgio Conceição respondeu com as entradas de Toni Martinez, Marega e Romário Baró nos postos de Sérgio Oliveira, Corona e Taremi. Era visível o cansaço em alguns jogadores, fruto de muitos jogos nas pernas em pouco tempo. Baró não atuava na equipa principal dos campeões nacionais há três meses e meio.

O FC Porto passou para 4-4-2, com Romário Baró a descair para a direita, equilibrou o jogo e passou a ter mais bola. O Nacional ia tentando com as suas armas mas faltava criatividade nos últimos metros. A fadiga acabou por vitimar Zaidu, substituído por Nanu para os derradeiros dez minutos. O guineense foi colocar-se na lateral direita, passando Manafá para o lado contrário.

O central Diogo Leite foi a última aposta de Sérgio Conceição para os derradeiros minutos, no posto de Luis Díaz, numa tentativa de fazer frente ao possível jogo direto da equipa da casa.

Nos descontos, o FC Porto perdeu uma grande oportunidade, com Uribe e Marega  a não conseguirem colocar  a bola no fundo das redes. E já no último minuto, Toni Martinez colocou a bola no fundo das redes mas o golo foi invalidado por fora de jogo.

Esta sofrida vitória, a sexta seguida na Liga, permite ao FC Porto ficar a seis pontos do líder Sporting e aumentar para seis a vantagem sobre o Benfica, que perdeu nesta ronda com o Gil Vicente em casa.  O Nacional soma a 9.ª vitória seguida e mantém-se no último lugar.

Veja o resumo do jogo

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.

Ajude-nos a melhorar o SAPO Desporto