O Benfica venceu o Sporting por 4-3, em partida a contar para 33.ª jornada da I Liga. Com este resultado, os encarnados mantêm a perseguição ao FC Porto na luta pelo segundo lugar. Já os leões viram quebrada a invencibilidade no campeonato.

Veja o vídeo

Uma jornada para o fim do campeonato, nada para decidir no primeiro lugar, com o Sporting a ter-se coroado como campeão nacional. Contudo, ainda com a invencibilidade do líder em xeque e com o Benfica na luta pelo segundo lugar.

Mas o que é certo, e já tão próximo do final da Liga, não se esperava um encontro com tamanha emoção e com tantos golos a apimentar o dérbi dos dérbis do futebol português. No Sporting, Amorim mudou quatro pedras: Lançou João Pereira, Daniel Bragança, Matheus Nunes e Matheus Reis para a titularidade. Feddal (por castigo), Pedro Porro por lesão e João Mário e Palhinha saíram do onze.

Do lado do Benfica, Jorge Jesus voltou ao plano habitual, com  os regressos de Everton, Diogo Gonçalves, Pizzi, Weigl, Vertonghen e Grimaldo.

Mais Benfica na primeira parte, com o Sporting com menor índice de concentração

Com o Benfica com mais responsabilidade para o dérbi, os encarnados chamaram para si a iniciativa de jogo nos primeiros minutos, com o Sporting a tentar jogar mais pela certa. Os encarnados conseguiram chegar ao golo cedo logo à passagem do minuto 12´. Passe de Pizzi a isolar o avançado suíço que picou à saída de Ádan.

Num encontro predominantemente marcado pelas linhas partidas das duas equipas, o Sporting tentou responder de pronto, apesar do início fulgurante do adversário. Nuno Santos cruzou, com Pote a chegar atrasado ao cruzamento.

A fazer lembrar um jogo de pré-época, sem grandes preocupações defensivas, mas com enorme intensidade dos dois lados, o perigo oscilava, com constantes vaivéns, num embate de parada e resposta. Aos 29´, o Benfica conseguiu dilatar a vantagem. Jogada de régua e esquadro, com Cebolinha a tocar de calcanhar, para a finalização de Pizzi com grande classe, perante a saída de Adán. Os encarnados chegavam assim ao 2-0, antes da meia hora de jogo, com os leões a demonstrarem muitas dificuldades para encurtar os espaços e em contrariar o futebol entrelinhas do Benfica. O meio campo dos leões estava demasiado macio, com os jogadores encarnados a conseguirem descobrir da melhor forma o espaço nas costas da defensiva do Sporting. Ao minuto 37´, Lucas Veríssimo dilatou para 3-0. Após um pontapé de canto, o central brasileiro desviou para o fundo da baliza num golpe de cabeça, com os verdes e brancos novamente a ficarm mal na fotografia.

Disponível no último terço, o Sporting tinha dificuldades em fechar o espaço lá atrás e fazer frente à vertigem encarnada. Contudo, ainda antes do final da primeira parte, o Sporting conseguiu reduzir. Pote, o melhor dos leões no jogo, rompeu e à entrada da área, perante a passividade da defensiva encarnada disparou em arco para dentro da baliza.

Segundo tempo com mais Sporting

Nos segundos 45 minutos manteve-se a toada. Um encontro de transições, com pouco meio-campo mas desta feita com o Sporting a pegar mais na bola face às entradas dos mais tarimbados João Mário e Palhinha, saíram João Pereira e Daniel Bragança. Resultado: A equipa subiu de produção e deixou o adversário em dificuldades. Procurava a todo o custo empatar a partir e evitar a quebra da invencibilidade.

No entanto, no início da segunda parte, foi o Benfica a dilatar. Matheus Nunes fez falta sobre Grimaldo na área. Na conversão da grande penalidade, Seferovic bisou. Mas o leão estava mais acutilante e a querer mostrar que podia discutir do jogo, apesar da festa até altas horas na madrugada de terça-feira. Na resposta, Pedro Gonçalves com uma grande disparo atirou ao ferro. Ao minuto 62´, os leões reduziram mesmo. Pedro Gonçalves colocou em Paulinho, de primeira o dianteiro meteu em Nuno Santos, que finalizou para o fundo da baliza.

O jogo não tinha um minuto de pausa e de aborrecimento, impróprio para cardíacos. Que dérbi! Seferovic voltou a ameaçar o quinto golo, mas desta feita não conseguiu bater Ádan. O recém-coroado campeão nacional estava mandão com a bola no pé e a ameaçar fazer golo. Amorim avançava com tudo, descia Palhinha para a posição de central e subia Coates para as divididas. Alas bem abertos, Nuno Santos e Pote endiabrados, Palhinha a segurar a bola na frente.

Ao minuto 78´, o Sporting reduzia. Penalti para os leões: Lucas Veríssimo derrubou Pote. Na conversão, o dianteiro também bisou, tal como Seferovic, enganando Helton Leite.

O empate ainda se vislumbrou, com Pedro Gonçalves a atirar ao poste, com Helton Leite já batido. Jesus tentou esticar o jogo, emprestando velocidade, com as entradas de Nuno Tavares e Rafa, mas o resultado já não sofreu alterações.

O Benfica quebrou a invencibilidade dos leões, depois de um jogo cheios de incertezas no resultado. Já Pote e Seferovic mantêm um duelo aceso na luta pela posição de melhores marcadores do campeonato, com 20 golos.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.