O Belenenses SAD perdeu com o Benfica no Estádio Nacional, ao ver-se forçado a abandonar o jogo por não conseguir concluir, por falta de jogadores, o segundo tempo de um encontro em que só entrou em campo com 9 jogadores, em virtude do surto de COVID-19 que afetou a equipa, e em que ao intervalo perdia por...7-0.

Numa noite negra para o futebol português, os 'azuis', depois de alguma indecisão sobre a realização ou não do jogo, até iniciaram a partida, tardaram a voltar para a segunda parte e quando o fizeram foi com sete jogadores. Depois, o árbitro apitou para o início do segundo tempo, um jogador caiu no relvado e, cumprindo as regras, o árbitro deu por terminada a partida.

Autogolo a abrir dificulta ainda mais a vida dos anfitriões

O Belenenses SAD apresentou apenas nove jogadores na ficha de jogo, sendo que um dos jogadores de campo era, habitualmente, guarda-redes. E se o cenário já era mau para a turma da casa, ficou pior logo na primeira jogada.

O pontapé de saída do encontro pertenceu ao Benfica e, logo no lance inicial do encontro, as 'águias' atacaram pela direita, André Almeida cruzou rasteiro para o coração da grande área e Kau, na tentativa de cortar a bola, introduziu-a no fundo da própria baliza.

Seferovic desta vez não falha e aos 15 minutos já as 'águias' venciam por 2-0

O Belenenses SAD, com menos dois jogadores em campo, reagiu como podia e até conseguiu conquistar um pontapé de canto minutos mais tarde. Mas, claro, a superioridade numérica do Benfica fazia-se notar, e muito.

Seferovic, tão falado ao longo da última jornada, surgiu isolado na cara do guarda-redes da casa aos 11 minutos, mas viu este negar-lhe o golo. Só que, três minutos depois, não perdoou. Passe de Rafa a voltar a deixar o suíço na cara do guardião adversário e o helvético a rematar de pé direito para o 2-0.

E Seferovic podia mesmo ter bisado pouco depois, mas viu o guarda-redes contrário evitar o golo, com uma grande defesa.

Weigl marca e nem festeja

A história do jogo estava mais do que estava mais do que escrita e pouco tinha a ver com o resultado. Darwin Nuñez, pouco depois, marcou de cabeça, mas o golo foi invalidado por falta do uruguaio sobre um defesa contrário.

O 3-0 surgiu ainda antes da meia hora de jogo, no melhor momento do jogo. À entrada da grande área, Weigl recebeu a bola e disparou fortíssimo para o fundo das redes.

A partir daí o resultado foi-se avolumando até ao intervalo.Seferovic bisou de penálti e Darwin chegou ao 'hat-trick'.

'Azuis' tardam a regressar para a segunda parte, voltam só com sete..e o jogo acaba logo a seguir

Depois, os jogadores 'azuis' tardaram a regressar para o segundo tempo, voltaram com apenas sete jogadores e, mal o pontapé de saída da segunda parte foi dado, um jogador caiu por terra. O árbitro não teve outro remédio sem ser acabar com a partida...um dia muito triste para o futebol português.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.