Rúben Amorim, treinador do Sporting, fez esta tarde a antevisão do jogo 244 com o FC Porto, partida da 3.ª jornada da I Liga. O tema Matheus Nunes dominou a conferência de imprensa.

Preparação do clássico: "Foi uma semana estranha e diferente pelos motivos que vocês sabem. Mas rapidamente reorganizamo-nos, começamos a focar no jogo e foi isso que fizemos: preparar o jogo da melhor maneira, sabendo dos pontos fortes do FC Porto que são vários. É uma equipa que marca muito e não sofre, muito competente em todos os momentos do jogo, principalmente na bola parada, é o campeão nacional. Já tivemos um empate esta época, vamos jogar em casa do campeão. A preparação foi o normal de um clube que quer ganhar em qualquer campo".

Amorim confirma reintegração de Jovane mas recusa incoerência sobre o mercado

Dinheiro do Matheus Nunes para contratar Ricardo Horta ou Cristiano Ronaldo? Eis a resposta de Amorim

Lugar de Matheus Nunes: "Não vou dizer porque estaria a ajudar o mister Sérgio Conceição. Mas isso não muda nada a abordagem do FC Porto. Vamos aguardar [para ver quem joga no lugar de Matheus Nunes], temos vários jogadores, Pote, Morita, Mateus Fernandes… todos podem jogar. Vamos ver, temos uma ideia, alguém vai la estar e preparado para ajudar a equipa a vencer o jogo".

Como ficou com a saída de Matheus Nunes? "Claro que não fiquei satisfeito...perder um jogador como o Matheus Nunes… Se não estivesse insatisfeito, alguma coisa de mal se passaria comigo. Sobre a azia [n.d.r. Conceição disse que agora caberia a Amorim ficar com azia por perder um jogador], o Mister Conceição, mesmo sendo campeão e ganhando vários títulos, está sempre mais aziado. Temos personalidades diferentes. Mas claro que não estou contente, o Matheus Nunes é um jogador que faz muita falta, não contava perde-lo mas agora é preparar o próximo jogo".

Motivos da venda de Matheus Nunes: "O Matheus foi vendido para fazer face a coisas básicas do clube e não vamos ser nós a estragar a esse conforto. É difícil contratar nesta altura, não queremos jogadores abaixo do nosso nível neste momento e os clubes não querem perder os melhores jogadores. Não tenho ideia nenhuma [sobre quem irá chegar]. Sou um treinador que precisa de tempo para amadurecer as ideias, mas não iremos gastar o dinheiro do Matheus em contratações".

E agora sem Matheus Nunes? "Eu sei desde o primeiro momento que a vontade da direção era tirar o Matheus Nunes, fizemos o máximo para o manter. Passámos para um plano B que era vender alguns jogadores para manter os melhores, mas, entretanto, surgiu esta proposta e a direção fez as suas escolhas, eu sou só um empregado do clube. Aliás, é também um objetivo desta equipa técnica que o próximo a sentar-se aqui não tenha de passar por isto todos os inícios de época."

Coerência: "Se há coisa que eu sou é muito coerente com as ideias que tenho, vou até ao fim com elas e já fui criticado por isso. Vendemos o Tabata porque o Matheus não quis sair. Desde o primeiro momento que disse que o Tabata tinha de ficar, mas não podia ficar com todos e sempre tive essa atenção na construção do plantel. Por isso, a incoerência de certeza que não é do lado do treinador."

O campeão nacional FC Porto, que lidera a I Liga, a par de Benfica, Boavista e Vitória de Guimarães, todos com seis pontos, recebe o Sporting, quinto, com quatro, no sábado, às 20h30, no Estádio do Dragão, no Porto, no primeiro embate entre ‘grandes’ da temporada 2022/23, que vai ser arbitrado por Nuno Almeida, da Associação de Futebol do Algarve.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.