Aos 29 anos, Jack Wilshere não consegue convencer nenhum clube de Inglaterra a contratá-lo. O antigo médio do Arsenal, que chegou a jogar a titular na seleção inglesa, está desempregado há um ano, após o ponto final da sua ligação com o Bournemouth. Em entrevista ao 'The Athletic', o esquerdino revelou que tem sido difícil explicar aos filhos porque não consegue trabalho.

"Para ser sincero, nunca pensei estar nesta posição. Toda a gente me costumava dizer: 'aos 28 ou 29 vais estar no topo da carreira'. E eu achava mesmo que ia estar, que ainda iria estar a jogar por Inglaterra, que estaria num clube de topo. [...] Os meus filhos estão numa idade em que já percebem as coisas. O meu filho diz-me: 'como é que nenhum clube te quer?'. A verdade é que eu não sei, mas como é que lhe explico isso?", começou por dizer.

"Eles têm amigos na escola que lhes dizem: 'porque é que o teu pai não está a trabalhar? Não é bom o suficiente? Não é bom a jogar futebol?'. É mesmo difícil. A parte mais complicada é quando fazem perguntas como: 'porque é que não assinas por um clube em Inglaterra?', e eu penso: 'bem, porque ninguém me quer...', e eles não conseguem entender", finalizou.

Na mesma entrevista, o médio de 29 anos confessou que "nunca devia ter saído" do Arsenal, algo que se deu após uma conversa com Arsène Wenger.

"Conversei com Arsène Wenger quando voltei de um empréstimo ao Bournemouth [época 2016/2017], e ele disse-me: 'olha, podes ir embora. Não vais conseguir um novo contrato cá'. Mas da maneira como eu o conhecia, e da maneira que ele me via enquanto futebolista, eu sabia que se estivesse bem fisicamente conseguia entrar para aquela equipa", recordou.

Desempregado e sem convites para jogar, Jack Wilshere já se questionou se vale a pena continuar no futebol. O médio confessou que está pensar em outras alternativas de vida, embora a mulher tenta convence-lo do contrário.

"Tive uma conversa com a minha mulher no outro dia, em que lhe disse: 'tenho de treinar amanhã, mas para quê? Devo focar-me em outra coisa? Posso ser treinador...'. Ela disse-me: 'Não, não podes. És demasiado bom'".

Aos 29 anos, Wilshere está disposto a ouvir todas as propostas porque não quer passar mais um ano em jogar.

"Em que ponto é que devo dizer que já chega? Não sei, para ser sincero. Disse ao meu agente que não quero estar numa posição em que espero e espero e de repente desperdicei outra época da minha carreira. Estou a ficar mais velho e não é isso que quero. Sinto que estou a perder tempo", confessou, em entrevista ao 'The Athletic'.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.