O Benfica confirmou, esta terça-feira, o apuramento para o 'play-off' da Liga dos Campeões 2021/22, ao voltar a vencer o Spartak Moscovo, desta feita por 1-0.

Depois da vitória por 2-0 da primeira mão, há uma semana, na capital da Rússia, desta feita, no Estádio da Luz, num jogo controlado quase a 100% pelas 'águias', um golo do reforço João Mário - o seu primeiro pelo Benfica - chegou para fazer a diferença. Segue-se, agora, um embate com o PSV Eindhoven na ronda seguinte.

Spartak entra a pressionar, mas o Benfica depressa toma conta do jogo

Com uma desvantagem de dois golos trazida da partida da primeira mão, em sua casa, o Spartak deu, nos primeiros instantes do encontro, a ideia de que vinha determinado a assumir o jogo no Estádio da Luz e surgiu algumas vezes no meio-campo do Benfica. Foi, contudo, sol de pouca dura.

O Benfica não tardou a pegar no jogo, tomar conta da posse de bola e começar a surgir junto da baliza dos moscovitas, com a velocidade de Rafa e Diogo Gonçalves, pela direita, a darem algumas dores de cabeça à defesa do Spartak. Pertenceu mesmo a Rafa o primeiro remate do Benfica no jogo, com a bola a sair, porém, muito por cima.

Depois, foi Weigl a cabecear ao lado no seguimento de um cruzamento largo de João Mário, que regressou ao 'onze' do conjunto da Luz após ter sido poupado por Jorge Jesus no arranque da I Liga, ante o Moreirense.

Oportunidades começam a surgir

A pressão dos anfitriões foi crescendo à medida que a primeira parte foi avançando e os lances de perigo omeçaram a surgir. O primeiro ocorreu à passagem do minuto 22, com Pizzi a rematar em posição frontal e a bola a sofrer um desvio num adversário, saindo ligeiramente por cima da trave da baliza do Spartak.

Completamente instalado no meio-campo do conjunto russo, o Benfica começava a sufocar a defesa adversária, com a bola a rondar por várias vezes a grande área do Spartak. Antes da meia hora, num lance muito confuso, a bola ficou por três vezes à mercê de jogadores do Benfica em boa posição, mas acabou por não entrar.

A pouco e pouco, e com uma vantagem confortável na eliminatória, o Benfica desacelerou e o Spartak sacudiu a pressão, até fez o único remate na direção de qualquer uma das balizas nos primeiros 45 minutos, mas o intervalo a chegar com o nulo no marcador.

João Mário estreia-se a marcar e acaba com as dúvidas

Os segundos 45 minutos arrancaram com o jogo na mesma toada. O Spartak até voltou a fazer mais um remate enquadrado, mas uma vez mais a bola saiu à figura de Vlachodimos, uma vez mais titular na baliza do Benfica, e as águias voltaram a tomar conta do jogo.

E, se dúvidas restassem quanto ao desfecho da eliminatória, elas foram dissipadas à passagem do minuto 57. Cruzamento de Diogo Gonçalves na direita, Rafa atirou de primeira, a bola esbarrou em Dzhikiya, que intercetou o remate, mas o esférico sobrou para João Mário, que à segunda atirou a contar, estreando-se assim a marcar de águia ao peito e inaugurando o marcador.

Yaremchuk entra e também marca, com carambola à  mistura. Que venha o PSV

A partir daí o Spartak baixou, em definitivo, os braços e foi o Benfica que continuou a dominar e a criar perigo. Houve ainda tempo para Jorge Jesus lançar, pela primeira vez, o reforço Roman Yaremchuk e seria este a estar na origem do 2-0, à beira do fim.

Uma vez mais com João Mário no lance, o ucraniano, que já tinha deixado um primeiro aviso, surgiu em boa posição na grande área moscovita. Rematou forte, a bola foi intercetada, mas acabou por bater no corpo de outro jogador do Spartak e entrar para o fundo das redes.

O Benfica segue, assim, em frente para o 'play-off', onde vai medir forças com o PSV Eindhoven já a 17 e 18 de agosto (na Luz) e 24 ou 25 de agosto (na Holanda).

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.