Esta terça-feira, 10 de novembro, João Félix comemora o 21º aniversário. Em poucos anos, o jovem natural de Viseu passou de desconhecido a craque. Depois de convencer o treinador Rui Vitória, João Félix chegou à equipa principal do Benfica e aí mostrou-se ao mundo.

As boas exibições de um tão jovem avançado agitaram o verão de 2019, quando João Félix acabou por dizer adeus ao Benfica para rumar ao Atlético de Madrid. Depois de uma primeira temporada discreta, o avançado português voltou à ribalta e tem recebido muitos elogios entre os espanhóis.

Mas o caminho até aqui foi longo. No 21º aniversário de João Félix, recorde a carreira do jovem avançado português.

O início

Nasceu em Viseu em 1999, tendo iniciado a carreira no FC Porto, onde fez parte das camadas jovens dos dragões durante seis anos. Chegou ao clube da Luz na temporada 2015/2016, com apenas 15 anos, proveniente do Padroense, clube ao qual estava emprestado pelo FC Porto.

Assim que chegou ao Benfica começou a brilhar e a bater recordes. Em setembro de 2016, no seu primeiro ano nos juniores do clube encarnado, João Félix tornou-se o mais jovem jogador a atuar pela equipa B do Benfica, com 16 anos e dez meses, num jogo da II Liga. Na mesma época, em fevereiro, foi o jogador mais novo de sempre a marcar na II Liga, aos 17 anos, três meses e cinco dias, contra o Académico de Viseu.

A chegada à I Liga

João Félix estreou-se pela equipa principal dos 'encarnados' na segunda jornada da temporada 2018/2019 frente ao Boavista. No Estádio do Bessa, o jovem avançado português entrou aos 88 minutos para substituir Franco Cervi num jogo que o Benfica venceu por 2-0. Depois de na época anterior ter apontado um total de 22 golos entre a equipa de juniores e a equipa B, João Félix ganhou a confiança de Rui Vitória na pré-época e foi integrado no plantel principal.

À terceira jornada, Rui Vitória voltou a 'testar' o jovem no dérbi frente ao Sporting, com o avançado português a corresponder com um golo aos 86 minutos, o primeiro ao serviço da equipa A, que deu o empate (1-1) ao emblema da Luz. Com este golo, de cabeça, tornou-se o mais novo desde Chalana a marcar na estreia no jogo grande da cidade de Lisboa. Seguiu-se uma visita à Choupana onde Rui Vitória lançou o 'miúdo' aos 81 minutos para o lugar de Salvio.

João Félix acabou por estrear-se na condição de titular à quinta jornada, na receção ao Desportivo das Aves. O jovem avançado abriu o marcador aos 34 minutos e acabou por ser substituído por Franco Cervi aos 53 minutos com o extremo argentino a apontar o segundo golo dos 'encarnados' no triunfo por 2-0. Apesar dos bons indicadores nos jogos em que foi chamado, João Félix acabou por não fazer parte das opções de Rui Vitória nas três jornadas seguintes, voltando a ser opção para a receção ao Moreirense.

Frente à formação minhota, Rui Vitória lançou João Félix na equipa inicial e o avançado voltou a corresponder com uma assistência para golo de Jonas logo aos 2 minutos. Aos 68', Cervi acabou por substituir o jovem num jogo que terminou com a derrota dos 'encarnados' por 1-3. Depois de três jornadas sem fazer parte das opções, João Félix regressou para os instantes finais do triunfo do Benfica sobre o Marítimo (1-0) nos Barreiros, referente à 13.ª jornada. Frente ao SC Braga, na ronda seguinte, voltou a não ser utilizado, e acabou por ser a última substituição de Rui Vitória na equipa do Benfica na derrota com o Portimonense por 2-0, quando entrou aos 80 minutos para render André Almeida.

Com a saída de Rui Vitória do comando técnico, João Félix ganhou outro protagonismo na equipa principal dos 'encarnados'. Logo no primeiro jogo de Bruno Lage à frente da equipa do Benfica, João Félix voltou a ser titular e bisou na vitória sobre o Rio Ave por 4-2 ao fazer uma dupla temível com Seferovic na frente de ataque.

O rendimento apresentado por João Félix na equipa principal levou a uma aposta contínua de Bruno Lage na sua titularidade, sendo um dos jogadores totalistas da segunda volta do campeonato com 19 jornadas consecutivas a titular. Dos 15 golos no campeonato, destacam-se aqueles que marcou em jogos considerados decisivos como o dérbi em Alvalade (2-4) e o clássico no Dragão (1-2), onde o Benfica acabou por saltar para a liderança da prova. E em poucos jogos, João Félix passou a ser o novo menino bonito da Luz.

Veja os melhores momentos da carreira de João Félix, até agora.

A estreia nas competições europeias

Depois de dar cartas no campeonato nacional, João Félix viu chegar a oportunidade de mostrar o seu valor além-fronteiras. Em dezembro de 2018, o jovem avançado estreou-se nas competições europeias, logo como titular, no encontro do Benfica frente ao AEK de Atenas.

Rui Vitória lançou o menino de ouro dos encarnados de início no jogo da 6º jornada do grupo E da Liga dos Campeões, em que o Benfica venceu os gregos por 1-0, com um golo de Grimaldo.

João Félix saiu aos 74 minutos de jogo para dar lugar a Nicolás Castillo.

Seleção nacional

Foi o 40.º jogador a estrear-se na seleção pela mão de Fernando Santos, que assumiu o cargo de selecionador em outubro de 2014. O avançado do Benfica foi titular contra a Suíça, no primeiro jogo da Liga das Nações.

O avançado benfiquista já tinha sido chamado na convocatória anterior por Fernando Santos, para os jogos com a Ucrânia e Sérvia, de apuramento para o Euro2020, mas acabou por não se estrear e foi dispensado devido a uma lesão.

Neste momento, João Félix soma já dez internacionalizações e um golo apontado. Estreou-se a marcar com a camisola das Quinas no passado mês de setembro, na vitória da seleção nacional frente à Croácia por 4-1. Aos 70 minutos, o avançado do Atlético de Madrid disparou forte da entrada da área, Livakovic não segurou e a bola acabou por entrar.

Profissional a bater recordes

João Félix fez história em abril do ano passado com os três golos marcados frente ao Eintracht Frankfurt, na Liga Europa. O jovem luso ultrapassou Eusébio e tornou-se o mais jovem português da história a realizar um hat-trick nas competições europeias.

Eusébio marcou três golos pela primeira vez em competições europeias com 20 anos, 9 meses e 29 dias quando o Benfica venceu o Norrkoping, a 22 de novembro de 1962, numa partida das Taça dos Campeões Europeus. Já João Félix apontou os três golos ao Eintracht Frankfurt com 19 anos, cinco meses e dois dias.

O avançado tornou-se também no quarto português a fazer um hat trick nas provas da UEFA, depois de Cristiano Ronaldo (vs. Ajax, em 2012), André Silva (vs. Áustria Viena, em 2017) e o já referido Eusébio.

Félix tornou-se ainda o mais jovem de sempre a conseguir fazer três golos na Liga Europa, superando registos conseguidos anteriormente por goleadores como Harry Kane, Romelu Lukaku, Marko Pjaca ou Paco Alcácer.

Mas há mais. O jovem avançado tornou-se também o primeiro português a marcar um hat-trick com a camisola dos encarnados nas competições europeias desde Pacheco fez três golos ao Belvedur Izola, da Eslovénia, em 1992.

A mudança para o Atlético de Madrid

A 3 de julho de 2019, João Félix foi oficializado como novo jogador do Atlético de Madrid, que pagou a cláusula de rescisão de 120 milhões de euros.

Esta foi a transferência mais cara do futebol português até hoje, quebrando o que sucedeu com Hulk em 2012, que transferiu para o Zenit a troco de 60 milhões de euros.

Em relação às transferências mais caras no clube encarnado, o mais caro até ao momento tinha sido Witsel, que se transferiu para o Zenit por 40 milhões de euros, o mesmo valor pago pelo City pelo guardião Ederson. João Félix passou assim a ser o jogador mais caro da história do futebol português. Os 120 milhões de euros superaram os 100 milhões de euros que a Juventus pagou por Cristiano Ronaldo ao Real Madrid, em 2018/19.

No entanto, a primeira temporada de João Félix no Atlético de Madrid não correu como seria de esperar. Logo no primeiro jogo em que foi chamado por Diego Simeone, o jovem avançado jogou apenas durante 28 minutos do encontro particular frente ao Numancia e tudo por causa de uma lesão.

O internacional português até estava em bom plano, mas lesionou-se na anca e acabou por ser substituído por Angel Correa ainda antes da meia hora, saindo de campo a coxear com queixas numa anca.

Esta foi a primeira de quatro vezes que João Félix esteve lesionado na temporada 2019/2020. Além disso, o jovem avançado fez 36 jogos e apontou nove golos. No final da temporada, acabou por ser um dos três portugueses no onze das desilusões da La Liga, escolhido pelo jornal espanhol 'Marca', em conjunto com Rony Lopes e Thierry Correia.

Já esta temporada parece estar a começar da melhor maneira para o jovem avançado. Em dez jogos, João Félix leva já sete golos - incluindo três jogos em que bisou: frente ao Salzburgo para a Liga dos Campeões e nos embates com Osasuna e Cádiz para o campeonato espanhol.

Os elogios

Sempre muito elogiado, apesar de nem sempre ter correspondido às expectativas, João Félix tem dado nas vistas nos últimos jogos e os comentários positivos têm crescido ainda mais, nomeadamente entre colegas e ex-colegas.

Os mais recentes elogios chegaram de Morata, que deixou o Atlético de Madrid para rumar à Juventus, mas continua atento às exibições dos colchoneros e não está surpreendido com as prestações de João Félix na equipa espanhola.

Em entrevista ao programa "El Partidazo" da rádio espanhola COPE e Rádio Marca, o avançado deixou elogios ao jovem internacional português, afirmando que não precisou de muito tempo para perceber a qualidade de Félix.

"Estava a espera do seu desempenho. Bastaram dois treinos para perceber que o João Félix é muito bom. No ano passado tive conversas com ele e fico feliz por vê-lo bem este ano. O limite só pode ser colocado por ele", disse.

Outro dos antigos colegas de João Félix a falar sobre as exibições do jovem avançado foi Jonas. "Tentei ser um pai para João Félix no Benfica. Desde o início que o via a destacar-se. Vou levá-lo sempre no coração", começou por referir o ex-artilheiro, em declarações à Radio Marca, sublinhando que "Portugal ficou pequeno para ele, sempre teve muito talento."

Também Luis Suárez confessou nos últimos dias que foi muito bem recebido no Atlético de Madrid e revelou não ter ficado surpreendido com o talento de João Félix."Não me surpreendeu, porque no Benfica já tinha mostrado a classe que tinha como jogador ainda muito jovem. Não é fácil quando vens do estrangeiro. O primeiro ano dele foi de adaptação e deixou detalhes de grande qualidade", começou por dizer Luis Suárez, em entrevista ao AS, prosseguindo."Creio que este ano vai começar a deixar as pessoas entusiasmadas. Ele está a sentir-se muito confiante e se nós os ajudarmos pode fazer a diferença. No entanto, ele não tem de carregar aos ombros toda a responsabilidade. Somos uma equipa e todos devemos contribuir. Acho que assim será benéfico para todos", acrescentou o goleador uruguaio.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.