O Atlético Mineiro apresentou uma reclamação junto da Confederação sul-americana de futebol (CONMEBOL), alegando uma irregularidade na segunda mão da meia-final da Taça Libertadores, frente ao Palmeiras, treinado pelo português Abel Ferreira, que garantiu a presença na final.

Depois do empate a zero em casa, o Palmeiras, detentor do troféu, passou graças ao golo apontado fora, de Dudu, aos 68 minutos, após o dos locais, da autoria do internacional chileno Eduardo Vargas, que marcou aos 52.

O Atlético Mineiro quer que lhe seja atribuída a vitória ou que o jogo seja repetido, alegando que o avançado Deyverson, que estava no banco do Palmeiras, entrou de forma irregular em campo no momento do golo apontado por Dudu.

Segundo o documento enviado pelo clube mineiro à CONMEBOL, o golo foi “precedido de invasão de campo por parte do atleta substituto Deyverson”, que estava “dentro do campo e próximo do lance” no momento em que ocorreu o golo.

Na final, marcada para 27 de novembro, no Estádio Centenário, em Montevideu, no Uruguai, o Palmeiras, que venceu o Santos na final de 2020 (disputada já em 2021 devido à pandemia da covid-19), defrontará os compatriotas do Flamengo, campeões em 2019 com Jorge Jesus.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.