O FC Porto venceu hoje o Marítimo por 2-1 e fica, provisoriamente, com mais nove pontos que o Sporting. Os 'dragões', que somaram o 15.º triunfo consecutivo na prova, chegaram ao intervalo já em vantagem, depois de um golo de Evanilson, aos 18 minutos, tendo ampliado no arranque da segunda metade, por Pepê, com o Marítimo, que viu interrompida uma série de quatro jogos sem perder, a reduzir através de Edgar Costa, aos 53.

Com esta vitória, o FC Porto reforça a liderança da prova, agora com 56 pontos, mais nove do que o Sporting, que tem menos um jogo, enquanto os insulares ocupam o nono lugar, com 24.

Veja o resumo

No regresso ao banco de suplentes, após ter cumprido castigo, Sérgio Conceição apostou em Pepê para o lugar de Luis Díaz, que foi hoje confirmado como reforço do Liverpool. Já Grujic rendeu Uribe, castigado e ao serviço da seleção colombiana. Destaque ainda para as presenças no banco de Pepe, Marcano e João Mário, recuperados de lesões, e para a chamada de dois guarda-redes suplentes (Marchesín e Cláudio Ramos).

Alipour, que substituiu o castigado Joel Tagueu, foi a única novidade no onze do Marítimo.

Não foi uma entrada asfixiante por parte do FC Porto, com mérito para o conjunto madeirense, que soube quebrar o ritmo dos 'dragões' - aos 10 minutos, Francisco Conceição já fazia exercícios de aquecimento junto à linha lateral. Ainda assim, seria uma questão de tempo até os portistas festejarem. Aos 18' Evanilson combinou com Otávio à entrada da área, com o médio a cruzar já na linha e o brasileiro a finalizar de calcanhar, com muita classe.

O Marítimo tentou responder pouco depois, com Alipour a ganhar de cabeça a Mbemba e a bola a sobrar para André Vidigal, que à saída de Diogo Costa acabou por atirar ao lado.

Sem brilhar, o FC Porto foi controlando o encontro até ao intervalo e acabou por fazer o 2-0 logo após o regresso, num lance caricato: cruzamento de Bruno Costa na direita, Otávio rematou no interior da área e Pepê desviou inadvertidamente com a anca (48'), enganando Paulo Victor.

Os 'dragões' ainda estiveram perto do terceiro, num cabeceamento de Otávio travado por Paulo Victor, mas seria o Marítimo a marcar e a relançar a partida. Winck recuperou a bola e tocou para Guitane, este rematou rasteiro e cruzado para o poste mais distante, Diogo Costa defendeu para a frente e Edgar Costa, na recarga, fez o 2-1.

O jogo perdeu fulgor com as substituições - destaque para o regresso de Bruno Xadas à competição, após dois meses e meio - porém, o resultado nunca esteve totalmente garantido para o FC Porto, que só respirou de alívio quando soou o apito final.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.