Vários pilotos expressaram o seu descontentamento por terem de participar no Grande Prémio de Itália em motociclismo, no mesmo dia em que morreu um jovem piloto na pista. Jason Dupasquier, da categoria de Moto3, não resistiu aos ferimento sofridos após uma queda no sábado e acabou por morrer no dia seguinte.

Danilo Petrucci, piloto da KTM Tech3 da categoria de MotoGP, foi um dos mais críticos com a decisão de se correr.

"Sinto-me sujo por ter corrido na mesma pista onde morreu um rapaz de 19 anos. Não me parece normal, tal como não é normal que ontem ninguém nos tenha consultado. Três minutos após a descolagem do helicóptero, a pista reabriu como se nada tivesse acontecido. Há tipos que pensam que o que aconteceu ao Jason também lhes poderia acontecer. Teria sido seguido o mesmo comportamento se um piloto de MotoGP tivesse morrido?", questionou o piloto italiano.

Também o seu conterrâneo Valentino Rossi preferia que a direção de corrida tivesse tomado outra decisão após a morte do jovem piloto suíço Jason.

"Quando estas coisas acontecem, é muito difícil encontrar uma razão para correr, até porque perguntas para ti mesmo: 'Porquê? Porque haveríamos de correr?' Mas, infelizmente, não tivemos o senso para não correr. Não podemos mudar o que aconteceu ontem. Foi muito, muito difícil para encontrar a concentração necessária para correr", comentou 'Il Doctore'.

Aleix Espargaró garantiu que, no sábado, tinha pedido à sua equipa para não correr no dia seguinte caso se confirmasse o pior mas acabou participar na prova. E explica porquê.

"Foi um dia muito duro. Quando se sabe que um piloto morreu, bate-nos com força. Não sei como é que nós pilotos conseguimos fazer um minuto de silêncio na grelha e depois fazer uma corrida. É uma coisa difícil de aceitar. No sábado já tinha dúvidas sobre se era correto. É difícil para todos aceitar esta situação. No sábado, depois do que aconteceu, disse a Massimo [Rivola, CEO da Aprilia Racing] que não correria em caso de morte. Disseram que a situação era estável e por isso concordei em pegar na moto. Agora, sinto-me mal comigo mesmo, não compreendo como consegui apagar tudo e fazer a corrida", sublinhou.

Também Miguel Oliveira, segundo na prova de MotoGP referiu que "gostava de ter feito este pódio noutras circunstâncias".

"Gostava de ter este pódio em outras circunstâncias. Podemos estar felizes, mas não estamos totalmente. Os nossos pensamentos estão com a família do Jason neste momento. Gostava que este desporto não fosse tão cruel, mas é o que amamos fazer, é a nossa paixão", disse o piloto da KTM.

O piloto suíço Jason Dupasquier, de ascendência portuguesa, morreu este domingo aos 19 anos, após a queda no sábado durante a qualificação do Grande Prémio de Itália de Moto3, anunciou a organização.

Jason Dupasquier sofreu no sábado um acidente na parte final qualificação de Moto3, que envolveu também o japonês Ayumu Sasaki e o espanhol Jeremy Alcoba, tendo sido assistido durante mais de 30 minutos na pista do circuito de Mugello, antes de ser transportado de helicóptero para o hospital.

O piloto, que foi atingido por uma das motas após a queda, ainda foi operado, mas não resistiu aos ferimentos sofridos.

Dupasquier participava pelo segundo ano na categoria de Moto3 do campeonato do mundo de motociclismo de velocidade. Atualmente, estava no 10.º lugar, com 27 pontos, após cinco corridas disputadas.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.