A cerimónia de abertura da 19.ª edição dos Jogos do Mediterrâneo lança hoje o evento em Oran, na Argélia, com o presidente da Comissão dedicada a este evento e ao encerramento a prometer “um espetáculo artístico completo”.

Os atletas olímpicos Filipa Martins (ginástica artística) e João Monteiro (ténis de mesa) vão ser os porta-estandartes de Portugal no evento, que junta 26 países da bacia do Mar Mediterrâneo e milhares de atletas participantes em Oran.

Segundo Salim Dada, encarregado da comissão que preside às duas cerimónias da 19.ª edição dos Jogos, esta utilizará “técnicas modernas” para trazer à segunda maior cidade da Argélia uma obra “grandiosa”.

O diretor considerou esta a primeira grande cerimónia desde a recuperação da independência do país, em 1962, e terá elementos inovadores no que toca ao guião, à coreografia, encenação e cenografia, garantiu.

Com os bilhetes esgotados, depois de o presidente baixar para 100 dinares “simbólicos” o preço dos ingressos, abaixo de um euro após conversão, o Estádio Olímpico, completado em 2019, terá milhares nas bancadas para assistir, com uma lotação de cerca de 40 mil espetadores.

O presidente da Argélia, Abdelmajid Tebboune, inaugurou quinta-feira o complexo olímpico que o rodeia, e que inclui vários outros locais de prova para Oran2022, atribuindo à infraestrutura como um todo o nome do antigo defesa internacional argelino Miloud Hadefi, ex-MC Oran.

Com uma orquestra e vários grupos artísticos, debaixo de um ‘exército’ de meio milhar de ‘drones’ no ar, serão incorporadas pinturas, danças, teatro, cinema e outros elementos artísticos, com a participação de cerca de 800 pessoas.

Segundo a organização, a cerimónia destacará os contributos de personalidades argelinas para a civilização humana, a faceta multicultural da Argélia, a cidade de Oran em si e o envolvimento do país com o Mediterrâneo que inspira este evento agregador de 26 países participantes.

Antes do cair da noite em Oran, que se encontra no mesmo fuso horário de Lisboa, a missão portuguesa fica marcada por novo jogo de polo aquático e pela chegada do secretário de Estado do Desporto e da Juventude, João Paulo Correia, que representará Portugal na cerimónia.

Uma derrota pesada com a Eslovénia, por 18-5, marcou a estreia dos sub-18 masculinos portugueses, na quinta-feira, no que foi o primeiro jogo de todo o programa competitivo de Oran2022.

Segue-se a França, no segundo de quatro jogos do grupo B, uma seleção de ainda melhor nível, perante a qual, explicou o selecionador, Gonçalo Abrunhosa, se pretende “não voltar a repetir” alguns erros cometidos para prosseguir a missão de aprendizagem e acumulação de experiência dos jovens que lidera.

O jogo está marcado para as 10:00 na piscina do Jardin Public.

Os Jogos do Mediterrâneo Oran2022 arrancam no sábado e decorrem até 06 de julho, com mais de três mil atletas de 26 países diferentes, incluindo 159 portugueses em 20 disciplinas.

Entre o contingente luso estão vários atletas olímpicos, como os atletas Evelise Veiga, Cátia Azevedo, Vera Barbosa, Tsanko Arnaudov, Tiago Pereira, Lorene Bazolo e Liliana Cá, a ginasta Filipa Martins, os atiradores Joana Castelão, Sara Antunes, João Costa e João Paulo Azevedo, os nadadores Ana Catarina Monteiro, Francisco Santos, Ana Rodrigues, Gabriel Lopes, Alexis Santos e Tamila Holub ou também os mesatenistas Jieni Shao e João Monteiro.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.