Os ginastas portugueses Bernardo Nogueira, Guilherme Campos e José Nogueira ficaram hoje fora da final do concurso completo (all-around) masculino dos Mundiais da ginástica artística, que decorrem no Japão, mas asseguraram todos o o estatuto de alta competição.

Com a qualificação para o concurso completo fixada nos 24 primeiros, José Nogueira foi o melhor português, ao terminar a qualificação na 40.ª posição, com 74.331 pontos, tendo Guilherme Campos concluído a passagem pelos seis aparelhos no 42.º posto da geral, 73.797.

Bernardo Almeida competiu em quatro dos seis aparelhos, pelo que não pontuou para a classificação do concurso completo, na qual o melhor (88.040) foi o japonês Hashimoto Daki, de 19 anos, que em julho se tornou no mais jovem campeão olímpico no concurso all-around.

Os Mundiais de ginástica artística decorrem até domingo, em Kitakyushu, estando agendada para quinta-feira a final do concurso completo feminino, na qual marcará presença a portuguesa Filipa Martins.

A ginasta, que este ano marcou presença nos Jogos Olímpicos Tóquio2020, vai também competir na final de paralelas assimétricas, feito inédito para a ginástica portuguesa.

Nos Mundiais de ginástica artística, nos quais Portugal está representado por seis ginastas, os atletas masculinos competem em seis aparelhos: solo, cavalo com arções, argolas, saltos, paralelas e barra fixa. Na variante feminina, a competição tem quatro aparelhos: paralelas assimétricas, salto, solo e trave.

Os 24 melhores do conjunto dos aparelhos, no máximo de dois por país, asseguraram presença no concurso completo, que, ao contrário do que sucede nos Jogos Olímpicos, é disputado apenas na vertente individual.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.