Os judocas portugueses Rodrigo Lopes, Joana Ramos, Maria Siderot e João Crisóstomo foram hoje eliminados ao segundo combate no Grand Slam de Kazan, na Rússia, a penúltima prova de qualificação olímpica.

Dos quatro, Joana Ramos é a única em posição elegível para os Jogos Olímpicos Tóquio2020, em 23.º (17.º no apuramento direto) na categoria de -52 kg, e hoje a judoca Sporting não conseguiu ultrapassar o segundo combate.

Em Kazan, Joana Ramos ainda venceu a turca Irem Korkmaz, por ippon, mas perdeu de seguida com suíça Eveline Tschopp (13.ª), também pela pontuação máxima.

Rodrigo Lopes (41.º), que chegou a estar em zona de qualificação para Tóquio2020, também sai de Kazan sem resultados significativos, com o judoca de -60 kg derrotado ao segundo combate pelo georgiano Lukhumi Chkhvimiani (12.º).

Situação semelhante à de João Crisóstomo, recente medalha de bronze nos Europeus de Lisboa, que perdeu no seu segundo combate nos -66 kg com o russo Yakub Shamilov, enquanto Maria Siderot (29.ª) foi derrotada nos -48 kg, também na sua segunda ida ao ‘tatami’, pela francesa Shirine Boukli (nona).

O Grand Slam de Kazan é a penúltima grande competição do calendário internacional antes dos Jogos Olímpicos Tóquio2020, com os judocas portugueses a terem ainda os Mundiais, em Budapeste, entre 06 e 13 de junho, para somarem pontos no apuramento.

Atualmente, a seleção portuguesa tem oito judocas em posição elegível para os Jogos Olímpicos, nomeadamente Catarina Costa (-48 kg), Joana Ramos (-52 kg), Telma Monteiro (-57 kg), Bárbara Timo (-70 kg), Patrícia Sampaio (-78 kg), Rochele Nunes (+78 kg), Anri Egutidze (-81 kg) e Jorge Fonseca (-100 kg).

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.