A Suécia sagrou-se hoje campeã europeia de andebol, com um triunfo por 27-26 sobre a Espanha, que perseguia o 'tri', ao concretizar um livre de sete metros no último segundo do jogo na Arena Budapeste, na Hungria.

A formação nórdica, vice-campeã mundial, colocou fim a um jejum de 20 anos e conquistou o quinto troféu europeu da sua história, sendo a seleção com mais títulos (1994, 1998, 2000, 2002 e 2022) e impediu a Espanha de revalidar os triunfos de 2018 e 2020.

A Suécia, que na fase de grupos perdeu com a Espanha (32-28) e estava em desvantagem ao intervalo (13-12), foi a seleção mais consistente, do ponto de vista defensivo e ofensivo, e inverteu a tendência dos últimos anos nos confrontos entre ambos os conjuntos, em que o último triunfo remontava a 2009.

Liderada por Jim Gottfridsson, tido como o jogador mais valioso do Euro2022, a Suécia entrou bem no jogo, com um parcial de 2-0 e com o guarda-redes Andreas Palicka em destaque, e manteve a Espanha, que só se estreou a marcar aos cinco minutos, à distância de dois golos até aos 6-4.

A seleção espanhola acertou a sua postura ofensiva e defensiva, empatou aos 6-6 e, depois de ter estado a perder por dois, aos 8-6, 9-7 e 11-9, passou para a frente aos 12-11, com três golos consecutivos.

A Espanha corrigiu a sua permeabilidade defensiva nos cinco minutos finais da primeira parte, tapando melhor o caminho dos suecos para a sua baliza, em que aumentou também a eficácia ofensiva, e atingiu o intervalo a vencer por 13-12.

O inicio da segunda parte foi marcada por um período de maior acerto às balizas, com a Espanha a aumentar a vantagem para dois golos, aos 14-12, que manteve até aos 17-15, mas com a Suécia a reagir e a empatar aos 17-17, com dois golos seguidos.

A seleção nórdica, após sucessivas igualdades e uma fase do jogo em que ambas as seleções acumularam vários erros, voltou à liderança aos 20-19, com um golo de Daniel Petersson desde a sua área, sem guarda-redes na baliza espanhola.

A Suécia, apesar de acusar algum cansaço, dado ter rodado pouco os seus jogadores, aumentou a vantagem para dois golos aos 25-23, numa altura em que o guarda-redes Andreas Palicka voltou a ser decisivo em momentos cruciais do jogo.

A Espanha, algo desorganizada e sem conseguir mesmo rentabilizar a vantagem numérica com as exclusões suecas, anulou a diferença e empatou aos 26-26, mas com menos de um minuto para jogar falhou a possibilidade de passar para a frente.

Com a hipótese de prolongamento a pairar na Arena de Budapeste, a Suécia desfez o empate e chegou ao triunfo por 27-26 com um livre de sete metros concretizado por Niclas Ekberg, no derradeiro segundo, dado que o tempo de jogo já estava esgotado.

Oscar Bergendahl, tido como o melhor defensor do Euro2022, e Niclas Ekberg, ambos com cinco golos, foram os principais marcadores da seleção sueca, enquanto na espanhola estiveram em destaque Adrian Figueras e Aleix Gomez, com seis.

O terceiro lugar do pódio do Euro2022, que teve a fase final na Arena de Budapeste, na Hungria, foi entregue à campeã mundial Dinamarca, que venceu no prolongamento por 35-32 a campeã olímpica França.

Portugal, que na edição de 2020 alcançou um inédito e histórico sexto lugar, terminou no 19.º posto, após ter sido eliminado precocemente na primeira fase da prova, sem qualquer triunfo.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.