O presidente do Nacional, Rui Alves, foi hoje reeleito no cargo, ficando com novo mandato de três anos (2021/2024) à frente do clube insular, que esta época desceu à II Liga de futebol.

Rui Alves inicia assim o seu 10.º mandato à frente do Nacional, tendo superado nestas eleições a lista encabeçada por Daniel Meneses.

Este ato eleitoral destinou-se apenas a escolher os órgãos sociais do clube, cujo mandato não é coincidente com o da SAD, que apenas cessa funções em dezembro do corrente ano.

Num universo de 935 sócios com direito a voto, 610 exerceram esse direito, naquela que foi a maior participação de sempre, com Rui Alves a ganhar por larga maioria, contabilizando 437 votos, o equivalente a 71%, contra os 168 do candidato Daniel Meneses. A estes terão de ser contabilizados quatro nulos e um em branco.

Rui Alves tomou posse pela primeira vez como presidente do clube em 11 de julho de 1994. Assim, embora não de forma consecutiva, liderou o clube madeirense ao longo de 27 anos.

Logo após o anúncio da sua vitória, Rui Alves realçou que "quem ganhou foi o Nacional", com os "sócios a demonstrarem sentido de responsabilidade e também de gratidão pelo trabalho desenvolvido".

Quanto a um possível regresso à I Liga, afirma que "isso não poderá ser feito a qualquer custo", terá de ser "com responsabilidade e não colocando em risco o futuro da instituição".

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.