António Folha não escondeu a sua revolta ao ver mais um golo anulado ao FC Porto B. Os jovens Dragões perderam por 2-0 frente ao Leixões e voltaram a ter um golo anulado pela equipa de arbitragem, algo que revoltou o técnico.

Na zona de entrevistas rápidas, António Folha não queria falar da arbitragem mas 'puxou' pelo direito de liberdade de expressão para dizer o que lhe ia na alma.

"Acho que é melhor não falar, caso contrário isto descamba. Se me pergunta, vou ter de responder à sua pergunta. Há liberdade de expressão ainda... Mas depois aparecem as multas e eu tenho filhos para sustentar e não dá. Tem sido demasiado. Não é só por este jogo, mas não é normal o que tem acontecido. Nós não fomos competentes, pois permitimos algumas saídas ao Leixões que deram golo", começou por dizer à SportTV.

"Se fosse falar deste jogo, há coincidências… É bom que quem manda no futebol veja as coincidências que existem, para ver o que se está a passar. Temos um treinador do FC Porto da primeira volta [Rui Barros] que agora está em casa, foi embora, foi despedido. Tem o treinador agora que pode acontecer o mesmo. Graças a Deus eu e o Rui estamos tranquilos. Mas isto é brincar com a seriedade das pessoas. O Rui não tem culpa, eu também não. Que há culpados, há. Para bem do futebol português - eu devo muito ao futebol, mas o futebol também me deve a mim, pelo que dei ao futebol à minha vida, - não pode ser assim. Agora quem manda, que mande a sério, que não seja só para a fotografia. Depois quem é que vai para casa e deixa de receber ordenados? Os treinadores, que são competentes, não têm culpa do que se está a passar", disse o técnico, antes de deixar uma sugestão aos restantes treinadores: fazer greve.

"Toda a gente fala, mas fazer é outra coisa. O futebol português precisa de mudar, não é só falar, é a atuar. Como se atua para com os treinadores, tem de se atuar igual. Somos o quê? Damos tudo, tal como os jogadores, e somos os elos mais fracos nisto. Os treinadores deviam unir-se e fazer greve quando for preciso", concluiu António Folha.

Com a derrota frente ao Leixões, o FC Porto B está no 16.º posto com 29 pontos, um lugar acima dos postos de despromoção, onde poderá cair se o Vilafranquense (último com 27 pontos) vencer esta segunda-feira o seu jogo frente ao Académico de Viseu.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.

Ajude-nos a melhorar o SAPO Desporto