O presidente do Conselho de Administração e o acionista maioritário da SAD do Boavista pediram hoje união na fuga ao último lugar da I Liga de futebol, antes da deslocação a Portimão, em encontro da 15.ª jornada.

“Este é o momento de todos estarmos unidos em torno do Boavista e tanto a administração como o acionista maioritário da SAD confiam e acreditam neste grupo de jogadores, equipa técnica e ‘staff’. Com o compromisso e trabalho de todos, seremos capazes de reverter a atual situação desportiva”, escreveram Vítor Murta e o empresário hispano-luxemburguês Gérard Lopez, numa declaração conjunta enviada à agência Lusa.

Além da eliminação precoce da Taça de Portugal, na quarta eliminatória, frente ao Estoril Praia (2-1), o Boavista soma uma vitória, oito empates e seis derrotas no campeonato, tendo triunfado apenas na receção ao Benfica (3-0), em 02 de novembro de 2020.

As ‘panteras’ demoram a justificar as expectativas geradas no defeso com a entrada do grupo do investidor Gérard Lopez no capital social da administração, aprovada por unanimidade pelos associados numa assembleia-geral realizada em 10 de outubro.

“A maioria das ações da SAD foram adquiridas pelo atual acionista maioritário em 11 de janeiro. Todos os salários e compromissos estão a ser cumpridos – é mentira dizer-se o contrário. Houve, como foi público, uma injeção de capital do atual acionista maioritário ainda antes deste assumir o controle da SAD”, prosseguem.

O investimento do ex-proprietário dos franceses do Lille e atual dono dos belgas do Mouscron concedeu reforços sonantes, como Adil Rami, campeão mundial por França, o espanhol Javi García, que jogou no Benfica, ou a esperança inglesa Angel Gomes.

Além da aposta no treinador Vasco Seabra, substituído à nona jornada por Jesualdo Ferreira, a profunda remodelação estrutural do Boavista conduziu às nomeações de Admar Lopes e Ricardo Costa como diretor-geral e diretor desportivo, respetivamente.

Retirado dos relvados desde agosto, o ex-defesa internacional português, de 39 anos, manteve-se em funções diretivas até sexta-feira, justificando a saída com um “atentado à integridade física” e “ameaças” de adeptos no treino realizado na véspera.

Ricardo Costa foi substituído pelo ex-avançado senegalês Fary Faye, que alinhou pelo emblema do Bessa em duas ocasiões (2003-2008 e 2011-2015) e juntará o cargo de diretor desportivo exercido nas últimas cinco épocas ao posto de diretor-executivo.

“Neste momento, estamos a realizar uma reestruturação entre o clube e a SAD, que deverá ficar concluída até ao final de março. O nosso projeto prevê ainda a realização de um forte investimento no mercado de verão, com o intuito de honrar a história de uma instituição centenária. Entretanto, e pensando no imediato, temos de continuar a trabalhar no limite para atingir os nossos objetivos”, terminam Vítor Murta e Gérard Lopez.

O Boavista, 18.º e último colocado, com 11 pontos, defronta hoje o Portimonense, na 13.ª posição, com 15, a partir das 20:30, no Estádio Municipal de Portimão, em encontro da 16.ª jornada da I Liga, com arbitragem de Vítor Ferreira, da associação de Braga.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.