"Cada jogo é importante para o Paços de Ferreira e este tem uma importância alta para as duas equipas. Mas, em virtude da sua classificação, terá uma importância extrema para o Olhanense, que quer sair a todo o custo da situação em que se encontra", disse Ulisses Morais.

O jogo com o Olhanense marca o regresso oficial da competição, após uma pausa de Natal que Ulisses Morais preferia não ter, apesar de dizer também que "não foi de todo significativa".

"O calendário foi feito assim e já sabíamos que ia ser assim. Mas penso que podíamos continuar a jogar, mesmo no período de Natal. Temos de pensar sobre isso", sublinhou Ulisses.

O técnico da formação nortenha admitiu ainda que o clube pode vir a reforçar-se até ao final do mês, tendo em conta as saídas de Cristiano e de Ciel, mas não deu quaisquer indicações sobre possíveis reforços.

"O Paços de Ferreira tem uma política extremamente honesta, que é dar o que é possível ao seu treinador, sendo cumpridor. Até ao último dia de inscrições, tudo pode acontecer, mas o que eu gostaria era de contar com o Paulo Sousa", disse Ulisses Morais, lembrando que o Paços de Ferreira ainda não contou esta época com o experiente médio, de 34 anos.

Ulisses Morais disse acreditar que poderia pensar nesta altura na recuperação total de Paulo Sousa e vê-lo como reforço e referência para os mais novos.

Os lesionados Paulo Sousa, Jorginho, Romeu Torres e Leal são os jogadores indisponíveis para o jogo de domingo, da 15.ª e última jornada da primeira volta.

O Paços de Ferreira, 11.º da Liga com 14 pontos, visita o Olhanense, penúltimo classificado com 10, no domingo, pelas 15:00, num jogo com arbitragem de Hugo Miguel, de Lisboa.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.