José Eduardo Moniz, vice-presidente do Benfica e administrador da SAD, viu o castigo aplicado pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol ser-lhe anulado pelo Tribunal Central Administrativo do Sul.

O dirigente, recorde-se, tinha sido punido com 45 dias de suspensão e multa de 2870 euros por críticas aos árbitros, com o castigo a ser confirmado depois pelo Tribunal Arbitral do Desporto (TAD)

"Os sinais são muito preocupantes, há decisões e escolhas lamentáveis e pouco cuidadosas de árbitros e videoárbitros, relatórios que colocam em causa a veracidade dos mesmos, tudo perante uma grande inércia das estruturas de decisão do futebol", afirmou Moniz à Rádio Renascença em fevereiro de 2018, após os jogos Tondela-Sporting, arbitrado por João Capela, e Estoril-FC Porto, dirigido por Vasco Santos, na época passada.

"Nem no tempo do Apito Dourado existe memória de uma semana tão negativa e com decisões tão escandalosas", acrescentou então o 'vice' do Benfica.

No acórdão que anula o castigo, é considerado que José Eduardo Moniz apenas exerceu o direito fundamental da liberdade de expressão.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.