Toni reagiu esta quinta-feira aos mais recentes acontecimentos que abalaram a nação benfiquista nos últimos dias, com a detenção de Luís Filipe Vieira e subsequente suspensão e renúncia ao mandato de Presidente do Benfica.

O histórico jogador e treinador benfiquista quebrou o silêncio, "já na posse de elementos bastantes", considerando que não poderia ficar alheio à situação.

"Seria uma posição comodista, cobarde mesmo, nada consentânea com a minha personalidade e o meu sentido de responsabilidade benfiquista", lê-se em comunicado, citado pelo jornal 'Record'.

Toni apela aos benfiquistas para que "apoiem sem reservas" todas as equipas do clube, incluído o futebol, pedindo ainda uma reflexão "sobre as razões que nos levaram a chegar a esta situação insustentável e tão danosa em termos reputacionais".

O histórico benfiquista realça ainda a realização de eleições num futuro próximo que, espera, "feche definitivamente um ciclo e que outro se abra com o triunfo dos valores e dos princípios, da mística e da honradez, da cultura competitiva ganhador, sinais distintivos do nosso historial centenário, que urge recuperar e até reforçar".

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.