Rúben Amorim analisou o encontro frente ao Gil Vicente em conferência de imprensa.

Lançou Tiago Tomás e Sporar, acabou por desbloquearem o jogo. O que é que lhes pediu?

"É o papel de toda a gente. O Sporar para ser homem de área, Tiago Tomás para dar profundidade, tentamos dar outras coisas à equipa. Deram a volta ao resultado."

Foi uma vitória com estrelinha?

"Uma equipa que acredita até ao fim. Podíamos falar em estrelinha, tentámos sempre ganhar o jogo. O Gil Vicente também joga, encaixou no nosso sistema. Tivemos alguma dificuldade. O Nuno e o Pedro perderam muitas bolas. Eles deram tudo. Estávamos desinspirados. Ganhámos como uma equipa e não jogámos como uma equipa grande" Estamos na quinta jornada, esta equipa tem demonstrado um grande coração. É esta a força da equipa, mesmo quando as coisas não correm bem, os jogadores estão a crescer."

O que falta a este Sporting é alguém que crie espaços, como o Daniel Bragança?

"O Daniel de frente para o jogo tem visão de jogo. Acontece com qualquer equipa. Os treinadores são bons, nós estávamos desinspirados. O Matheus também é capaz de criar espaços mas não esteve inspirado. As individualidades também fazem a diferença. O mister Rui Almeida preparou bem a questão."

Porque resolver mexer?

"Senti a equipa muito ansiosa, a começar de um lado, a acabar do outro. O que o Daniel pode trazer? Tem muita qualidade. Toda a agente conhece as qualidades do Dani, é muito inteligente. Tem uma concorrência muito forte, mas tem entrado forte."

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.

Ajude-nos a melhorar o SAPO Desporto