O presidente do Belenenses SAD, Rui Pedro Soares, apontou hoje à possibilidade de contratação de “mais três ou quatro reforços” para a equipa da I Liga portuguesa de futebol, até ao fecho do ‘mercado’ de transferências.

“[A pré-temporada] Tem corrido bem. Os reforços têm-se integrado bem e é provável que, até ao fim de agosto, contratemos mais três ou quatro reforços”, disse, em conferência de imprensa virtual onde abordou o ‘mercado’ e a preparação da época.

As posições identificadas como prioritárias para essas contratações estão no centro da defesa, no meio-campo e no ataque, onde os ‘azuis’ procuram um dianteiro móvel, com características diferentes das de Mateo Cassierra, Alioune Ndour e Luís Mota.

“Tanto o médio como o avançado são alvos que estamos a negociar desde junho. São situações que não estão resolvidas, mas que estamos a trabalhar. Em relação ao central que procuramos, admito que estamos a falar com mais do que um, pois também pode ter impacto alguma venda de um jogador nosso”, explicou o dirigente.

Essa possível venda é a de Tomás Ribeiro, jovem central que tem despertado a atenção de vários clubes, incluindo um português, revelou Rui Pedro Soares, que, “apesar do interesse e de propostas concretas”, disse ter rejeitado todas elas, tal como as que a administração da SAD lisboeta recebeu pelo colombiano Mateo Cassierra.

“Temos muitas propostas concretas pelo Cassierra, de Turquia, Grécia, Rússia e uma equipa britânica. Só ontem [sábado], fui contactado por quatro clubes diferentes. Prevemos que a luta vai ser feroz. Só da Turquia temos cinco propostas”, revelou.

Garantindo que Cassierra “está consciente do interesse”, Rui Pedro Soares assegurou que, em caso de permanência do avançado no Belenenses SAD, “não vai ficar contrariado”, alertando que, “para o levarem, vão ter de fazer uma oferta muito alta”.

“[O Cassierra] É muito bom jogador, um grande profissional e, se ficar connosco, vai fazer uma excelente campanha. A proposta mais alta que rejeitámos até ao momento [pelo Cassierra] foi de 2,2 milhões de euros. Ainda está longe do seu real valor”, disse.

Para além de Tomás Ribeiro e Cassierra, o presidente dos lisboetas também confirmou abordagens pelos médios Sithole, Afonso Taira e Afonso Sousa, igualmente rejeitadas, enquanto, no capítulo das contratações falhadas, explicou o que aconteceu nos negócios com o guarda-redes bósnio Kenan Piric e com o médio luso Tiago Dantas.

“O Tiago Dantas foi-nos proposto pelo empresário dele. É um excelente jogador, estivemos interessados, mas, no momento que estávamos a falar com o empresário, ele referiu que ainda estava dependente de outra proposta. Quem contratamos tem de vir com ambição e vontade de jogar connosco”, afirmou, criticando os atletas e agentes que, atualmente, colocam o dinheiro à frente do rendimento desportivo.

Sobre Kenan Piric, Rui Pedro Soares explicou que, já depois de o guarda-redes ter realizado exames médicos, onde foi detetada “uma lesão que o podia limitar”, embora não fosse impeditiva, o empresário exigiu que o pagamento fosse efetuado em dinheiro vivo: “Tentou alterar as condições durante a negociação. Achámos caricato, foi a primeira vez que um empresário se atreveu a dizer que queria dinheiro em notas. Aqui não há pagamentos em dinheiro vivo, calculo que na Bósnia também não”.

O Belenenses SAD faz a estreia na nova temporada no sábado, às 15:30, na visita ao secundário Mafra, enquanto a primeira jornada da I Liga dita uma deslocação ao reduto do FC Porto, no fim de semana de 07 e 08 de agosto.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.