O treinador Pepa afirmou hoje que o Vitória de Guimarães precisa de “personalidade” e “inteligência” para lutar pelo triunfo na visita de domingo ao líder FC Porto, para a 12.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol.

Eliminada da Taça de Portugal no fim de semana anterior, no dérbi com o vizinho Moreirense (3-2), a formação minhota tem a “ambição” de ‘sarar” esse “momento muito duro” no Estádio do Dragão, um ‘palco’ que dificilmente poderia ser “melhor” para os jogadores se mostrarem “intensos e solidários” nos períodos “com e sem bola”, disse o técnico.

“Não há palco melhor. Gostamos desse tipo de desafios. Mais do que ter muita personalidade, temos de ter muita inteligência para conseguirmos os três pontos. Vai ser um jogo muito intenso, disputado, em que a dificuldade vai ser extrema. Só o melhor Vitória é que pode conseguir algo”, frisou, na antevisão ao desafio marcado para as 20:30, no Porto.

Convencido de que a equipa a seu cargo não é a que se apresentou nos “piores 45 minutos” da época, em alusão à segunda parte do jogo para a quarta eliminatória da ‘prova rainha’, o treinador frisou que os vitorianos têm de estar no “limite” para se baterem com um adversário que é segundo no grupo B da Liga dos Campeões e aproveitarem o seu “erro”.

“A boa campanha das equipas portuguesas na ‘Champions’ também é reflexo da qualidade enorme que elas têm. Isso leva-nos ao limite em termos de dificuldades. Temos de estar sempre no nosso limite. Quando não estamos no nosso limite, somos uma equipa banal”, reconheceu.

O ‘timoneiro’ vimaranense quer, por isso, os seus pupilos não só a aproveitar o “erro”, mas também a provocá-lo num adversário que, no seu entender, está “mais forte” em relação à temporada anterior.

“[O FC Porto] tem um padrão em que defende diferente em relação ao ano passado, com uma zona de pressão diferente. Com o Liverpool, para a ‘Champions’ (derrota por 2-0), conseguiu roubar muitas bolas no primeiro espaço de construção ofensivo. Esta equipa ainda está mais competente em relação ao ano passado, e a procura da profundidade está muito mais objetiva no corredor central”, descreveu.

Pepa reconheceu ainda que os ‘dragões’ costumam “abafar todas as equipas” que se deslocam ao seu estádio “nos primeiros 15 a 20 minutos”, mas avisou que este “não é um tempo” para o Vitória se “esconder de nada”

“Quem tem medo de perder e de errar, perde e erra. O desafio é difícil, mas venha ele. Há três resultados possíveis”, declarou.

O Vitória de Guimarães, sétimo classificado, com 16 pontos, defronta o FC Porto, líder, com 29, em partida agendada para as 20:30 de domingo, no Estádio do Dragão, no Porto, com arbitragem de Luís Godinho, da Associação de Futebol de Évora.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.