A pausa da I Liga para os compromissos das seleções chegou numa altura em que o Benfica atravessa o seu segundo melhor momento da temporada em termos de triunfos consecutivos, mas o melhor no que ao registo defensivo diz respeito.

Depois de, no início da temporada, ter logrado uma série de sete vitórias consecutivas, o conjunto da Luz atravessa agora uma sequência de cinco triunfos seguidos. A diferença é que, se nessa primeira série vitoriosa sofreu cinco golos, na atual sofreu...zero.

A consistência defensiva que Jorge Jesus tanto procurou parece ter, enfim, sido alcançada pelos 'encarnados'. Coincidência ou não, surge com a chegada de dois brasileiros ao 'onze': Helton Leite e Lucas Veríssimo (que ainda não sabe o que é sofrer golos em competições internas).

500 minutos sem sofrer golos na I Liga, 590 a nível interno

Minuto 40 da visita ao Moreirense, a contar para a 19.ª jornada da I Liga, a 14 de fevereiro. Grimaldo derruba Walterson na grande área e Yan Matheus não perdoa na conversão do consequente castigo máximo. Foi o último golo sofrido pelo Benfica na prova e em competições internas. Desde então, as 'águias' só sofreram golos com o Arsenal.

Depois desse jogo de Moreira de Cónegos, o primeiro de Helton Leite como titular nesta I Liga, a nível interno o Benfica manteve a sua baliza incólume frente a Farense (0-0), Rio Ave (2-0), Estoril (2-0, meias-finais da Taça de Portugal), Belenenses SAD (3-0), Boavista (2-0) e Sp.Braga (2-0). São, ao todo, 590 minutos seguidos sem sofrer golos em competições internas, 500 dos quais na I Liga. Até ao início desta série, esta temporada o Benfica ainda não tinha estado mais do que três jogos consecutivos sem sofrer.

Titularidade de Helton Leite foi ponto de viragem

Helton Leite assumiu a titularidade na baliza do Benfica na I Liga à Jornada 19 e só sofreu ainda um golo na prova (e de penálti, o tal convertido por Yan Matheus em Moreira de Cónegos). Leva cinco jogos seguidos sem sofrer golos na competição, mais do que qualquer outro guarda-redes logrou no escalão principal do futebol português em 2020/21 (o anterior máximo era de Jordi Martins, guarda-redes do Paços de Ferreira, que tinha estado quatro jogos seguidos sem sofrer golos).

Além disso, trata-se da melhor sequência de um guarda-redes do Benfica desde que, em 2016/17, Ederson, agora jogador do Manchester City, esteve 850 minutos sem sofrer qualquer golo.

Recordes absolutos ainda distantes

Se, para ultrapassar esse registo de Ederson, Helton Leite terá de estar mais quatro jogos sem sofrer qualquer golo, para fixar um novo máximo do clube da Luz terá de fazer ainda melhor. O recorde pertence a Manuel Bento, que entre setembro de 1985 e janeiro de 1986 esteve 1065 minutos seguidos sem sofrer golos.

Mais longe ainda está o máximo absoluto da história da I Liga: Vítor Baía esteve 1192 minutos sem deixar a bola entrar para o fundo das redes da baliza do FC Porto entre setembro de 1991 e janeiro de 1992. Para superar este registo, Helton Leite teria de estar mais oito jogos sem sofrer golos, ou seja, até à 32ª e antepenúltima jornada da I Liga 2020/21.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.